As imagens de São Paulo

São Paulo, a maior cidade da América Latina, com 462 anos, quase 12 milhões de habitantes e 96 bairros, vem se mostrando palco de movimentos políticos, sociais, culturais e de muita agitação. Isso não é uma novidade em se tratando de São Paulo. É uma cidade multicultural, que agrega a diversidade entre pessoas e opiniões, que nem sempre respeitam as opiniões dos outros, e como consequência, a cidade sofre.

O objetivo deste humilde artigo é refletir as diversas visões e a identidade de São Paulo e ainda visualizar sua imagem em vários momentos. Claro que não se esgotará, mas ainda convido você para registrar as suas visões desta cidade que eu realmente adoro!

20160517_122021 20160517_122443

Ando, passeio, trabalho pela cidade. Vejo em cada muro uma manifestação de sentimentos, em cada paisagem de pedra um pouco de sua identidade. Nos seus pontos mais conhecidos como a Praça da Sé, o encontro dos jovens na Praça Roosevelt, que é também os encontros de muitos pets… Muitas vezes registro, pois considero obras de artes e, em alguns casos, degradação. Mesmo diante de tudo isso, percebo que é uma cidade que a cada momento chama a atenção e atrai muitos outros olhares que as pessoas buscam conhecer.

20160517_12274320160517_122539

No carnaval, aos poucos começa ganhar estrutura e se tornar ou retornar a ser referência de carnaval de rua, movimentos sociais e culturais reforçam a sua identidade de Diversidade e Acolhimento.

Mas qual a relação disto com Branding? Muita coisa.

Branding é a gestão de marcas, onde há a relação dentre outros elementos, de imagem, identidade e cultura, e São Paulo tem diversas amostras de que cada muro, rua, prédio é uma característica própria da cidade. E como está acontecendo com diversas cidades, com o objetivo de estimular o turismo, afinal, uma cidade também visa o seu lucro no final do seu exercício, a própria Cidade de São Paulo possui BrandBook  (http://spturis.com/marcasp/MarcaSP.pdf).

O BrandBook tem por objetivo apresentar a essência da marca, seus pilares e maneiras de se comunicar com o público. Foi uma iniciativa bacana, no que tange a promoção dos serviços e pontos importantes para quem vem conhecer a cidade. Veja, é necessário uma gestão de todos esses elementos, como em uma organização, ou marca de produto. É importante o gerenciamento, verificar os públicos de interesse para oferecer o que se deseja, ou pelo menos, o que é necessário.

No entanto, o que quero salientar é que apesar de um trabalho de gestão em torno da cidade, o mesmo pode ser pouco efetivo quando a população ou clientes dela não percebem valor e ainda degradam o que é de uso e propriedade comum. Como por exemplo, os monumentos da cidade. Muitos estão pichados e destruídos e muitas vezes por conta das manifestações, outras pelo simples desrespeito. Como toda grande cidade apresenta problemas de saúde, saneamento básico, segurança, desemprego… mas de certa forma, esta cidade ainda mantêm a sua beleza, não só no centro, como também em todos os demais bairros.

Há pouco tempo, em uma série que conta as histórias dos bairros de São Paulo (https://www.youtube.com/watch?v=7yNiU3c2cNM) , descobrir que passo todos os dias pelo monumento mais antigo da cidade de São Paulo, o Largo da Memória, no Centro de São Paulo, atrás do metrô Anhagabaú, próximo ao Terminal Bandeira, e ele já passou por algumas restaurações, mas não fica intacto por muito tempo. No local é feita limpeza duas vezes por dia, mas continua sendo foco de acumulo de lixo e proliferação de ratos (eu presencio as limpezas, os lixos e ratos… argh).

20160514_104301 20160514_103848

É culpa da prefeitura? Da população? Dos ratos? Realmente, imagino que há uma somatória e uma quantidade interessante de culpados, mas, como Paulistanos, temos uma marca, temos uma história, temos direitos e deveres, mas quando cobramos os outros e quando cumprimos o que devemos?

Não tenho a menor intenção de fazer discursos ou defesas políticas ou sociais, a intenção é somente refletir sobre esta cidade que vivenciamos todos os dias pelo meio de transporte e transito, pelos serviços e tempo, pelas pessoas e suas ações. Somos agentes de disseminação e proteção desta marca, e é necessário conscientização e cuidado para com ela, para que possamos usufruir de tudo que ela pode nos oferecer com lazer, serviços e cultural. E se for necessário cobrar o poder público, vamos cobrar… mas por favor, recolha o seu lixo e pare de jogar as latinhas e garrafas de cerveja no meio da praça. Combinado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *