Category

Notícias

Category

A Mondelēz International, empresa detentora de marcas como Trident, Halls, Lacta, Bis, Sonho de Valsa, Club Social, Oreo e Trakinas, anunciou um investimento de mais de US$ 5 milhões em seu centro técnico global, em Wroclaw, na Polônia, para expansão das atividades de pesquisa e desenvolvimento em chocolate, bakery, balas e gomas.

Um ano e meio após sua inauguração, o Centro recebe o aporte financeiro inicial de US$ 17 milhões, uma fatia dos US$ 65 milhões destinados pela companhia ao investimento em grandes centros de pesquisa, desenvolvimento e qualidade em todo o mundo.

As instalações de última geração em Wroclaw funcionarão como base para um hub de inovação para marcas locais e globais da companhia, como os biscoitos Oreo e belVita, os chocolates Milka, Cadburry, Dairy Milk e Toblerone, e balas e gomas como Trident, Hollywood, Stimorol e Dirol.

“O centro polonês é único não apenas pela diversidade e talentosos cientistas e engenheiros que reúne, como também pelo alto nível tecnológico empregado para pesquisas em chocolates, biscoitos, balas e gomas. O objetivo desse investimento é criar combinações, sabores, recheios e formatos para surpreender e atender as demandas de nossos consumidores”, afirma Kevin Powell, vice-presidente de Pesquisa, Desenvolvimento e Qualidade para Biscoitos, Balas e Gomas da Mondelēz International.

“Nossa missão é oferecer aos nossos consumidores o snack certo, no momento certo, feito da maneira certa e essa rede global de centros técnicos é crucial para apoiar esse processo”, diz Rob Hargrove, vice-presidente Executivo de Pesquisa, Desenvolvimento e Qualidade. “A extensão gerou 50 novos empregos e vai colaborar para uma rede de produção de mais de 40 fábricas em toda a Europa”.

Além da fábrica, o núcleo conta com laboratórios analíticos e sensoriais que totalizam 12.500 m² de espaço criativo para novas ideias e experimentos e abrigam mais de 200 profissionais, cientistas e engenheiros, entre outras especialidades, de 28 nacionalidades diferentes.

Além do centro de inovação, a companhia conta outros 10 centros técnicos já em operação no mundo: Curitiba, no Brasil; East Hanover e Nova Jersey, nos Estados Unidos; Bournville e Reading, no Reino Unido; Thane, na Índia; Singapura; Suzhou, na China; Saclay, na França; e Munique, na Alemanha.

Compartilhe!
error0
Iniciativa de ambientação da GOL recepciona seus clientes com clássicos da MPB e Bossa Nova em seus aviões

O Marketing Sensorial, que utiliza de forma estratégica os cinco sentidos (visão, audição, tato, paladar e olfato), já é uma ferramenta utilizada por muitas empresas para promover experiências entre marca e consumidor.

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes lançou nesta semana uma iniciativa que utiliza o marketing sensorial a bordo dos seus aviões, com música ambiente instrumental da MPB e Bossa Nova, tanto no momento de embarque, para recepcionar os clientes, quanto para o desembarque de todos os passageiros.

Para criar este momento, foram preparadas diferentes playlists com referências brasileiras e compassos de Jazz, com clássicos como Chega de Saudade, Trem das Onze, Mas Que Nada, Desafinado e Água de Beber. A seleção de músicas visa proporcionar sensação familiar e de bem estar aos Clientes antes e depois de suas viagens.

Imagem: divulgação.

“Como empresa genuinamente brasileira, queremos que nosso Cliente sinta o que temos de melhor. O atencioso e prestativo atendimento, o conforto e a segurança dos nossos aviões, e agora aproximar um pouco mais da nossa cultura com as músicas a bordo. Queremos que todos que viajam conosco tenham sempre uma agradável experiência de voar GOL”, explica Paulo Miranda, diretor-executivo de produtos da GOL.

O projeto teve início nesta semana na ponte aérea e a expectativa é que seja implementado em toda a frota da Companhia ao longo de 2019.

Compartilhe!
error0
Por Antônia Caneca de Lamare
Brassaria Ampolis apresenta filme publicitário que promove a cerveja Cacildis em rede nacional

O humorista Mussum retorna à casa de milhões de brasileiros a partir do dia 24 de novembro, protagonizando um filme que faz parte da campanha publicitária que comunica a expansão da cerveja Cacildis, um dos rótulos da Brassaria Ampolis, cervejaria criada em 2013 por Sandro Gomes, filho do humorista, e pelo publicitário Diogo Mello. A ideia da dupla foi homenagear o artista.O filme traz o carismático personagem muito bem representado por um dublê, com sua linguagem inesquecível caracterizada por palavras terminadas em “is”, em uma conversa divertida com o filho Sandro Gomes, que conta um pouco sobre a criação da cervejaria. Fotos do acervo pessoal da família também ganham destaque!

Com veiculação em horário nobre na TV aberta, além de versão para o digital, a campanha promete mexer com o emocional de diferentes gerações que acompanharam o Mussum na telinha por vários anos. Com o slogan “a cerveja, a lenda, o verdadeiro mé”, a Cacildis promete se destacar ainda mais no mercado nacional de cervejas premium.

Segundo Diogo Mello, responsável pela criação da campanha, o conceito foge da publicidade tradicional. “A responsabilidade é enorme em trazer o Mussum de volta à TV depois de tantos anos. Colocamos muito carinho nisso, somos uma marca conhecida pela criatividade e o objetivo é que nossa comunicação reflita isso sempre de forma inovadora e, acima de tudo divertida”, completa.Brassaria Ampolis se uniu ao Grupo Petrópolis, uma das principais empresas fabricantes de bebidas do país, ampliando consideravelmente sua participação no mercado e beneficiando sua capacidade de produção, envase e distribuição. Com isso, a cerveja Cacildis, um dos rótulos da Ampolis, ganha duas novas versões – garrafa de 600ml e lata de 350ml – e passa a ser distribuída em redes de supermercados, bares e restaurantes nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Goiânia e Distrito Federal. A fusão com o Grupo Petrópolis promove também um reposicionamento dos preços da marca.

Compartilhe!
error0

Pela primeira vez, o patrocínio de marcas à Copa do Mundo caiu – após o escândalo de corrupção da Fifa.

“Um levantamento da Sports Value (empresa especializada em marketing esportivo), mostrou que a Fifa arrecadou US$ 1,33 bilhão de seus patrocinadores em 2018 – 18% menos que na Copa do Mundo do Brasil (2014), quando de marcas veio US$ 1,63 bilhão.

O motivo da queda? A saída de algumas marcas grandes, que cortaram seus patrocínios antes da Copa, como Johnson & Johnson, Castrol e Continental, além da pisada no freio de outras marcas que mantiveram o apoio.” (Exame, 2018)

“É caro para as marcas. Se elas não conseguem ativar (promover ações durante o evento e dentro dos estádios, montar estandes, promover mídia durante os jogos), só sai caro e não há retorno. Marcas mais populares conseguem ativar bem, como Coca-Cola e Adidas. Outras, não”, explica Amir Somoggi, sócio-diretor da Sports Value, para a Exame.

E não foi apenas a Fifa que perdeu patrocinadores. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol), também envolvida em denúncias de corrupção, perdeu o apoio da Chevrolet, que lhe dava, antes, 54 milhões de reais.


Fonte: https://exame.abril.com.br/marketing/pela-1a-vez-patrocinio-de-marcas-a-copa-do-mundo-cai/

Imagem: Exame, 2018.

Compartilhe!
error0

A 15ª edição da premiação do Marcas Que Eu Gosto 2018 promovida pela Folha de Pernambuco com pesquisa aplicada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) foi realizada nesta quarta-feira, 13 de junho.

As preferências dos consumidores foram mapeadas indo além da lembrança, lançando um recorte profundo sobre sua predileção.

Confira as marcas vencedoras por categoria do Marcas que Eu Gosto 2018:

Bebidas

Uísque (Teacher’s)
Aguardentes (Pitú)
Cervejas (Skol)
Água Mineral (Santa Joana)
Refrigerante (Coca-Cola)
Vinhos nacionais (Quinta do Morgado)
Café (Santa Clara)
Leite (Camponesa)

Alimentos

Arroz (Emoções)
Cream Crack (Vitarella);
Biscoito doce (Treloso e Chocoresco – Vitarella)
Macarrão (Vitarella)
Farinha de Milho (Vitamilho)
Feijão (Turquesa)
Extrato de tomate (Palmeiron)
Molho de tomate (Quero)
Vinagre (Minhoto)
Goiabada (Tambaú)

Varejo

Loja de Calçados (Esposende)
Pizzaria (Restaurante e Pizzaria Atlântico)
Farmácia convencional (Pague Menos)
Shopping Center (Shopping Recife)
Loja de Informática (Nagem)

Serviço Financeiro

Cartão de Crédito (Hipercard)

Saúde

Hospital Particular (Real Hospital Português)
Plano de Saúde (Hapvida)
Laboratório de análises clínicas (Gilson Cidrim)
Diagnóstico por imagem ( Boris Berenstein)
Hospital e clínicas de olhos (Hope)

Produtos de limpeza

Água sanitária (Dragão)
Álcool (Brilux)
Sabão em pó (Omo)
Sabão em barra (Bem-te-vi)

Construção

Loja de material de construção (Armazém Coral Achaqui)
Tintas (Coral)
Cimento (Poty)
Home Center (Atacado dos Presentes)

Telecomunicação

Operadora de celular (Oi)

Área automotiva

Revendedora de veículos Fiat (Italiana)
Revendedora de veículos Ford (América Ford)
Revendedora de veículos GM/Chevrolet (Autonunes)
Revendedora de veículos Volkswagen (Meira Lins)
Fábrica de automóvel (Jeep)
Baterias de Carro (Moura)

Educação

Curso preparatório para concurso (Nuce)
Colégio particular (Salesiano Recife)

Imóveis

Construtora (Moura Dubeux Engenharia)
Imobiliária (Paulo Miranda)

Segurança

Empresa de segurança (Preserve-Liserve)

Marcas que fazem a diferença

Natura


Mais detalhes do evento: Folha PE – Economia.

Compartilhe!
error0

A consultoria Troiano Branding e O Estado de S. Paulo lançaram a quarta edição do Marcas Mais, um ranking cujo objetivo é compreender o que faz com que os consumidores percebam, em produtos, serviços e empresas, a relevância que incita ao engajamento e que motiva a decisão de compra e uso.

Segundo comunicado oficial da pesquisa, as marcas mais importantes para os brasileiros estão, com maior ou menor intensidade,  orientando suas ações cada vez mais a partir de pelo menos cinco tendências que de certa forma contribuem para sua existência:

  • Sustentabilidade
  • Propósito
  • Internet das coisas
  • Big data
  • Realidade mista (virtual e aumentada)

E mais: elas sabem que o relacionamento com o consumidor agora é outro, porque ele tem diante de si literalmente um mundo de possibilidades – muitas vezes na palma da mão – e sua experiência com elas define se o contato tem futuro ou fica na superfície e faz a fila andar.

Foram feitas 11.500 entrevistas, com perguntas específicas para cada segmento e avaliando o engajamento. No fim das contas, o que todo mundo quer saber é: quem são (e o que fazem para ser quem são) os nomes preferidos.

Confira as categorias:

  • Alimentos Industrializados
  • Aparelhos Celulares e Tablets
  • Aparelhos de TV e Vídeo
  • Artigos Esportivos
  • Automóveis
  • Bancos
  • Canais de TV por Assinatura
  • Cartões
  • Cervejas
  • Comércio Online
  • Companhias Aéreas
  • Computadores
  • Construtoras
  • Cosméticos
  • Destinos Turísticos
  • Empresas de TV por Assinatura
  • Empresas de Viagem
  • Fabricantes de Eletrodomésticos
  • Higiene Pessoal
  • Lojas de Eletrodomésticos e Móveis
  • Lojas de Roupas
  • Operadoras de Telefonia e Internet
  • Planos de Saúde
  • Poupança
  • Produtos de Limpeza
  • Redes de Fast-Food
  • Refrigerantes
  • Seguradoras
  • Supermercados
  • Universidades Particulares

No site é possível conferir os resultados e fazer o download da versão em .pdf dos relatórios de 2015 até a edição atual.

Compartilhe!
error0

A Kantar Millward Brown e a WPP publicaram o ranking anual 2018 BrandZ™ Top 100 Most Valuable Global Brands, que identifica e classifica as 100 marcas mais valiosas do mundo pelo seu valor em dólar.

Um fato curioso que o ranking revela é que as marcas que não são norte-americanas crescem mais: 14 marcas chinesas aparecem no Top 100, sendo que em 2006 aparecia apenas uma (a China Mobile).

Porém, as três marcas mais valiosas do mundo continuam sendo norte-americanas:

  1. Google: US$ 302,1 bilhões (aumento de 23% com relação a 2017)
  2. Apple: US$ 300,6 bilhões (aumento de 28% com relação a 2017)
  3. Amazon: US$ 207,6 bilhões (aumento de 49% com relação a 2017)

 

Segundo Eduardo Tomiya, CEO da Kantar Consulting para América Latina, o estudo mostra que atrás de marcas valiosas existem cinco pilares base: propósito, inovação, comunicação, experiência de marca e love brand. “Aquelas que conseguem neste contexto disruptivo combinar estes cinco fatores com maestria não apenas sobrevivem, mas perpetuam o negócio e se tornam ainda mais valiosas”, explica o especialista na Istoé Dinheiro.

Outro ponto importante, destaca Tomiya, é a predominância das marcas de tecnologia no topo do ranking global: oito das dez principais marcas são de tecnologia ou relacionadas, sendo que 53% das marcas mais valiosas são deste segmento, fato que comprova a mudança no comportamento das pessoas quando comparado há mais de dez anos, quando marcas de bebidas e cigarros listavam dentre as mais valiosas.

“Marcas que estiverem mais envolvidas com as alterações de percepção dos consumidores e endereçarem a eles uma proposta de valor única terão mais chances de consolidação”.

Compartilhe!
error0

A Lush, marca britânica que defendia seu posicionamento de cosméticos frescos feitos à mão, anunciou que fechará suas lojas e fábrica no Brasil no dia 20 de junho.

Mensagem no site da Lush (14/05/2018)

 

A empresa, que já havia encerrado as atividades no Brasil em 2007 e retornado em 2014, afirmou que não conseguiu ter lucro nos últimos quatro anos em que operou no país: “O Brasil é um mercado muito difícil para a operação de uma marca britânica. Apesar do crescente aumento de vendas, depois de 4 anos enfrentando prejuízos, a alta carga tributária, a prolongada recessão econômica, somados à instabilidade política, tornaram impossível à Lush continuar investindo e lucrar no país”, diz a companhia em nota.

 

Post da marca Lush (14/05/2018).

 

A Lush opera em 49 países com 932 lojas e 38 lojas virtuais, sendo conhecida por vender produtos sem embalagem e priorizar o uso de ingredientes vegetais frescos e orgânicos.

No Brasil possui cinco lojas, um e-commerce e 129 funcionários. A fábrica, em Bom Jesus dos Perdões – SP, emprega 44 pessoas e também será fechada.


Fontes:

Folha de S. Paulo
Portal G1

Compartilhe!
error0

A Copa do Mundo está chegando e você já sabe qual a marca mais lembrada pelos consumidores?

A startup brasileira de pesquisa digital MindMiners divulgou à Exame um relatório com mil entrevistas realizadas no Brasil com o objetivo de entender como os consumidores enxergam as marcas na Copa, o que eles esperam dos jogos na Rússia e quais serão seus hábitos de consumo durante o evento.

Confira os resultados:

  1. Nike é a marca mais associada à Copa (a marca fornece o material esportivo da Seleção)
  2. Raramente as marcas que patrocinam oficialmente a Copa são as mais lembradas
  3. 1 entre 3 brasileiros vai gastar mais durante as semanas de Copa
  4. Quase metade dos brasileiros comprará alguma coisa por causa da Copa
  5. Mais da metade diz que os escândalos de corrupção envolvendo a CBF diminuem a vontade de torcer para a Seleção
  6. A TV Globo é a predileta de 2 entre 3 brasileiros para assistir aos jogos
  7. Neymar e Tite são os mais admirados da Seleção
  8. A maioria acha que não mudará nada a autoestima do brasileiro se o Brasil voltar com a taça

As marcas mais lembradas

Qual marca vem à cabeça quando se fala “Copa do Mundo”:

  1. Nike: 39%
  2. Adidas: 14%
  3. Coca-Cola: 6%
  4. Fifa: 4%
  5. Itaú: 3%
  6. Penalty: 3%
  7. Brahma: 2%
  8. Caixa: 2%
  9. Outros (menos de 2% de menções cada): 27%
  • Marcas esportivas que mais associam à Copa: Nike (59%) aparece em primeiro lugar, seguida por Adidas, Puma e Mizuno.
  • Marcas de cerveja que mais associam à Copa: Brahma (27%), seguida de Heineken (24%), Skol, Budweiser e Itaipava.
  • Marcas de fast food que mais associam à Copa: McDonald’s (60%). Depois, vêm Burger King (9%), Subway, Habib’s e Pizza Hut.
  • Companhias aéreas que mais associam à Copa: Gol (34%), Tam (25%), Emirates e American Airlines.
  • Bandeiras de cartão mais associados à Copa: Visa (42%), Mastercard (40%), American Express e Elo.
  • Marcas de telecomunicação mais associadas à Copa: Vivo (43%), Tim, Oi e Claro.
  • Marcas de automóveis que mais associam à Copa: Volkswagen (27%), Hyundai, Chevrolet, Fiat, Honda e Toyota.

Consumo durante a Copa

7 entre 10 disseram que seus gastos costumam aumentar durante a Copa. O motivo se explica, em boa parte, pelo aumento na frequência de bares e encontros com amigos e familiares para assistir às partidas. Um motivo, também, respondido por 8% dos entrevistados: eles compram álbum e figurinhas da Copa.

Quase metade pretende comprar alguma coisa por causa da Copa:

  1. Camisa da Seleção: 23%
  2. TV: 15%
  3. Álbum de figurinhas: 12%
  4. Celular: 11%
  5. Notebook: 6%

Quando o assunto é cerveja, 25% dos entrevistados responderam que sempre bebem cerveja vendo os jogos, enquanto 31% só bebe às vezes e 44% não bebe.

Questionados sobre a marca de cerveja que mais combina com os jogos da Copa, a Heineken foi a mais citada (26%), seguida de Skol (22%) e Brahma (21%). Ainda vieram Budweiser, Itaipava e Antarctica.

E quem vai ganhar?

71% acredita que o Brasil virá com o hexa para casa. A Alemanha aparece como a provável campeã para 15%. Depois, Espanha (5%), e França e Argentina, com 2% das respostas cada.


Fonte: Pesquisa “Copa do Mundo: as marcas e os torcedores” para Exame.
Imagem: Exame.

Compartilhe!
error0

O Ragazzo, rede de restaurantes inaugurada em 1991 com a primeira loja em São Caetano do Sul – São Paulo, anunciou seu novo posicionamento de marca desenvolvido pela FutureBrand.

O projeto envolveu desde o modelo de negócio, estratégia de marca, identidades visual, verbal até a arquitetura dos restaurantes.

A marca, que até então era vinculada à do Habib’s, inclusive com o mote “O fast food italiano do Habib’s”, passa a mostrar-se como  especialista em “tudo o que é gostoso” – sua nova tagline.

A primeira campanha após seu reposicionamento, desenvolvida pela agência PPM Brasil, destaca os principais benefícios da marca: sempre uma boa pedida, trazer prazer a cada mordida e dar um ‘up’ no dia das pessoas:

https://youtu.be/wCCeLdKjwgQ

https://youtu.be/hbu9JDA_O7U

Compartilhe!
error0