evento branding e design thinking

Cobertura – Curso Branding & Design Thinking

É, não tá fácil para ninguém: mercado competitivo, maior eficiência com menos dinheiro. Consumidores exigentes não estão gastando seu escasso dinheiro com qualquer produto ou serviço. E o que as Marcas estão fazendo em tempos de crise? Ou melhor o que elas fizeram antes da crise para garantir seu crescimento?

Não precisamos esperar a crise para pensar diferente.

O Design Thinking é ideal para esses desafios porque questiona o status quo e estimula a inovação, através da observação sob várias perspectivas e empatia às partes interessadas (steakholders) em cenários de incertezas. Problemas complexos se tornam mais simples através de testes, onde é possível aprender errando, gastando menos dinheiro e tempo para atingir os resultados desejados. Foi por essa razão que o InfoBranding achou interessante discutir esse conceito alinhado com o Branding em um curso.

amanda e gabrielDenise Cavalcanti, do InfoBranding, foi a nossa mestre de cerimônias no curso de Branding & Design Thinking, realizado no dia 7 de novembro de 2015, com as palestras de Marcello Lage, Gabriel Meneses e Amanda Higa. 

 

Tente, arrisque, teste, aprenda e evolua!

A manhã começou com as palestras de Amanda Higa (designer e especialista em Branding que atua no mercado farmacêutico com foco em autoestima, saúde e bem-estar) e Gabriel Meneses (designer especializado na área de saúde e farmacêuticas), ambos fundadores e colunistas do portal InfoBranding.

Eles trouxeram os principais conceitos do DT e como é aplicado nas empresas. Eles focaram a abordagem no entendimento do contexto atual, marcado pela complexidade e necessidade de se fazer mais com menos. Nesse sentido o Design Thinking foi apresentado como um processo com origens remotas, representadas por ferramentas consagradas da gestão empresarial como o ciclo PDCA, 5W2H e análise SWOT, ferramentas capazes de identificar características do ambiente e relacioná-las com a realidade interna da empresa, propiciando a criação de um ciclo de melhoria contínua.

Na sequência foi abordada a relação do DT na ótica do seu significado semântico, cuja abordagem sustenta a identificação do seu significado prático, demonstrando que ele não se limita a designers, podendo ser utilizado por diferentes profissionais envolvidos na gestão de projetos de diferentes naturezas. Tal abordagem caminhou para a identificacão do perfil do designer thinker, ou seja, aquele que atua no processo.

Alguns recursos já conhecidos em áreas de criação são muito usados no DT como o brainstorm e o mind map, com o propósito de criar um ambiente criativo onde as ideias possam ser organizadas para traçar um plano de ação que deve ser colocado em prática rapidamente, mesmo que seja como um teste. Economizando recursos físicos e tempo (que uma vez desperdiçado, não pode ser recuperado).

 

Café por favor!


buffet reussPara o coffee do Buffet Reuss a orientação foi: Interagir uns com os outros, principalmente com pessoas desconhecidas, pois isso seria importante para a parte prática do curso!

Essa recomendação foi seguida à risca pelos participantes, e entre um sanduíche e o brigadeiro, não se via ninguém sozinho no celular. O momento foi de conhecer os outras pessoas e trocar percepções. Eu mesmo conversei com alguns participantes, inclusive de cursos passados como o pessoal de São José dos Campos, e já exercitei o networking convidando-os a participar do nosso portal com artigos. Espero que os presentes tenham trocado contatos também, pois esse também é um benefício de qualquer curso: apresentar a sua marca pessoal e expandir a sua rede de relacionamento.

 

Como crescer na crise?

marceloMarcello Lage, professor multidisciplinar de pós e MBA (BSP, HSM Management, Anhembi Morumbi, Belas Artes e Trevisan) começou sua palestra com uma pergunta desafiadora: Como crescer 100% em tempos de crise? Para responder ele contou a sua história e experiência como empreendedor, fundador da marca de pão de queijo Formaggio Mineiro.

A principal mensagem foi que não há um plano de negócios perene, ou seja, as empresas precisarão se adaptar constantemente. Buscando sinergia entre o Factível, o Viável e o Desejável e exercitando a visão focal e periférica quando necessário. Também foi explicado o Funil de Conhecimento com o exemplo da marca Formaggio Mineiro:

A oportunidade: os desafios do mercado e ambiente externo, qual o cenário e oportunidade a ser explorada

O modelo: através da oportunidade identificada > definir o que a marca é, o que ela vende/oferece > quais os pontos devem ser trabalhados

O processo: ações e ferramentas para garantir o funcionamento do modelo > entregar o prometido > resultado

“No inferno, os lugares mais quentes estão reservados para aqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise.” Dante Aligheri

 

Mãos à obra!

praticaDepois de entender os princípios do Design Thinking e conhecer a aplicação na prática através do case do Formaggio Mineiro, nada melhor para fixar os conceitos com um exercício prático. Foram formados grupos de seis a oito pessoas, de preferência pouco conhecidos entre si, simulando uma equipe multidisciplinar (profissionais de várias áreas) de uma empresa. E foi apresentado um tema: Como integrar marca e colaborador. A dinâmica foi feita em fases com uma breve explicação e pouco tempo de trabalho (visando estimular o melhor aproveitamento e tempo de reação para um problema).

mindmap1. Exploração: nessa fase os participantes foram instruídos a conversar entre si sobre o tema, através de sua visão e experiências pessoais.

2. Definição: então selecionamos as principais questões levantadas.

3. Ideação: hora do brainstorm, as ideias são expostas aleatoriamente, sem julgamento. A ideia é que um pensamento evolua em outro.

grupos4. Prototipação: as divergências são resolvidas e é hora de prototipar de jeito rápido e barato. O intuito é errar cedo para corrigir logo. Os grupos aproveitaram para formular um mindmap ou rascunhar uma proposta.

5. Teste (iteração): essa fase foi substituída pela apresentação do projeto de cada grupo. Foi a parte mais interessante do sábado, onde pudemos ver a diversidade de soluções encontradas: Face empresa (uma rede social interna) para integrar os colaboradores, Programa de imersão para conhecer outras áreas, Timeline da empresa para entender sua história e o papel do funcionário na organização, Projeto aprenda com as crianças para levar os valores da empresa de forma lúdica e Workshops de co-criação com espaços especiais para melhorar a comunicação e estimular a inovação. 

todosApesar do tempo ter sido curto para a parte prática (muita gente ficou com gostinho de quero mais), as principais etapas para desenvolvimento de projetos seguindo o Design Thinking foram passadas. O principal intuito do curso era estimular a interação entre diferentes tipos de pessoas, criando novas conexões e desenvolvendo novas maneiras de se resolver um desafio. Esperamos que isso possa ser aplicado no dia-a-dia tanto em casa quanto no trabalho.

O exercício evidenciou a necessidade de reforçar o conceito de Endobranding para engajamento dos colaboradores, tema para nosso 5o Diálogo em abril de 2016.

Para quem ficou com vontade do pão de queijo, eleito o melhor Pão de Queijo do Brasil pela Revista Prazeres da Mesa, vale a pena degustar nas melhores cafeterias ou comprar em um Pão de Açúcar e comer em casa. Saiba mais: www.formaggiomineiro.com.br

Com colaboração de Gabriel Meneses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *