Imagem Corporativa – sua venda silenciosa

Imagem é a forma como somos percebidos pelos outros. Nossa identidade e nossa essência são transmitidas através de sinais que compõem nossa comunicação não verbal, ou seja, tudo que comunicamos a nosso respeito que não envolva o mecanismo da fala. Você já parou para pensar que tipo de sinais tem emitido? Que mensagens tem passado sem que você mesmo perceba, seja através de seu gestual e comportamento, seu tom de voz, suas expressões faciais ou sua aparência?

Nossa aparência é parte relevante do pacote que afeta as impressões das pessoas a nosso respeito, sobretudo quando se encontra alguém pela primeira vez. Gostando ou não, a maior parcela da primeira impressão pode vir do impacto visual que causamos. Não seria esta uma ferramenta muito importante para ser deixada de lado, especialmente em ambientes corporativos? Em tempos de comoditização de profissionais, não seria a imagem um grande diferencial competitivo?

Ao contrário de nossa comunicação verbal, que tem princípio, meio e fim, a comunicação não verbal é intermitente, e, muitas vezes, invasiva e involuntária. Ela nos denuncia, podendo ajudar ou dificultar nosso esforço de venda.

A credibilidade, fator fundamental em ambiente corporativo, também encontra suporte em nossa própria imagem. Ela é o conjunto que você apresenta, do qual sua vestimenta faz parte e, de acordo com os conceitos da imagem, as pessoas sempre fazem algum tipo de declaração, eficaz ou deficiente, pela maneira como se vestem.

As pessoas relacionam-se conosco a partir da forma como nos percebem; mais do que isso: fazem negócios com quem elas confiam. Obviamente a confiança envolve valores como competência, reputação, entrega, dentre outros; mas nossa imagem exerce grande influência ao inspirar (ou não) confiança em nossos contatos e amigos.

O universo corporativo está cada vez mais informal e, embora os códigos de vestimenta nestes ambientes estejam mudando, existem algumas recomendações simples que podem fazer com que cada um encontre seu equilíbrio.

A imagem não deve ser a característica mais determinante, mas sim cumprir com louvor seu papel em nossa venda silenciosa, dando suporte aos nossos atos e afirmações. Quanto mais alta nossa posição ou aonde queremos chegar, maior deve ser a preocupação com nossa imagem.

Não permita que os outros o avaliem de forma diferente do que você é. Você tem o poder em suas mãos. Seja seu trabalho formal ou mais informal, para criar uma imagem de profissionalismo e sucesso, sua imagem pessoal deve ser coerente com a mensagem que seus outros atributos projetam.

Para gerenciar sua marca pessoal através de sua imagem:
  1. Conheça seu corpo e tudo que o favorece, desde modelos de roupas a melhores cores. Use peças adequadas ao seu tamanho, ou seja, nem muito justas, nem soltas;
  2. Minimalismo é uma palavra-chave nos dias atuais! Invista em qualidade, e não quantidade;
  3. Tenha algo marcante e torne isto parte de sua marca. Pode ser um relógio, um acessório, seus óculos, um corte de cabelo, algo que faça com que as pessoas vejam e imediatamente se lembrem de você;
  4. Esteja sempre adequado às situações. Se for convidado para um evento e tiver dúvidas, não hesite em perguntar o dress-code;
  5. O sorriso é seu principal acessório sempre!

Jaqueline Araujo e Silvia Beraldo são consultoras de imagem pessoal e corporativa há 10 anos e sócias na Olhar Estratégia de Imagem. Além de executarem processos individuais, ministram palestras e facilitam treinamentos para empresas como Bradesco, Carrefour, Sanofi, Novartis, Cisco, Mattos Filho, Net, dentre outras. Para mais informações e opções de contato, por favor acesse www.oeimagem.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *