A queda do patrocínio das marcas à Copa do Mundo

Pela primeira vez, o patrocínio de marcas à Copa do Mundo caiu – após o escândalo de corrupção da Fifa.

“Um levantamento da Sports Value (empresa especializada em marketing esportivo), mostrou que a Fifa arrecadou US$ 1,33 bilhão de seus patrocinadores em 2018 – 18% menos que na Copa do Mundo do Brasil (2014), quando de marcas veio US$ 1,63 bilhão.

O motivo da queda? A saída de algumas marcas grandes, que cortaram seus patrocínios antes da Copa, como Johnson & Johnson, Castrol e Continental, além da pisada no freio de outras marcas que mantiveram o apoio.” (Exame, 2018)

“É caro para as marcas. Se elas não conseguem ativar (promover ações durante o evento e dentro dos estádios, montar estandes, promover mídia durante os jogos), só sai caro e não há retorno. Marcas mais populares conseguem ativar bem, como Coca-Cola e Adidas. Outras, não”, explica Amir Somoggi, sócio-diretor da Sports Value, para a Exame.

E não foi apenas a Fifa que perdeu patrocinadores. A CBF (Confederação Brasileira de Futebol), também envolvida em denúncias de corrupção, perdeu o apoio da Chevrolet, que lhe dava, antes, 54 milhões de reais.


Fonte: https://exame.abril.com.br/marketing/pela-1a-vez-patrocinio-de-marcas-a-copa-do-mundo-cai/

Imagem: Exame, 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *