Quando nascemos, as pessoas nos olham, nos observam, nos seguram e, a partir daí se inicia uma onda de adjetivos, características e nomes, sem ao menos termos consciência, já somos a cara do pai com o nariz da mãe, e ao mesmo tempo lembramos aquele tio, que hoje tem 36 anos, quando nasceu, que sua avó faz questão de ressaltar.

Somos fofinhos, lindos, fortes e com cara de joelho, definindo a nossa aparência. Também somos tranquilos, nervosos e chorões, definindo a nossa personalidade.

De quebra já nos indicam que seremos engenheiro como o pai, empreendedora como a mãe e educadores como os avós, e ainda não completamos o nosso primeiro ano de idade e já temos nossa identidade, personalidade e vida definida por aqueles que estão a nossa volta, que certamente visualizando o que julgam ser melhor para nós.

No entanto, com que base é definido estes parâmetros para nós?

Acredito, explorando de maneira simples, que isso surge a partir do aprendizado, crenças e valores enraizados em nossas famílias e, em ideais que nossos pais têm para o nosso futuro, e que eles lutaram para conquistar.

Entendo que uma organização é criada a partir do desejo de seus fundadores de oferecer a sociedade algo bom e novo, que possa contribuir de maneira positiva à vida das pessoas, tendo como contra partida o retorno à esses fundadores, financeiros e também de reconhecimento.

A identidade dada às pessoas muda à medida que há o amadurecimento do conhecimento, que se conhece formas diferentes de se fazer algo, e a identidade vai se moldando e se fortalecendo, podendo sair daquilo que se foi planejado, mas possivelmente mantendo sua essência.

Essência que acompanhará a pessoa e a organização ao longo de sua existência, reforçando valores e atitudes, e se fazendo reconhecido por aquilo que se faz e por aquilo que representa.

Dizem que o gato bebe leite, e o rato come queijo e você? E a sua organização? Qual é a sua identidade e a sua essência?

Segue um trecho do filme “O Palhaço” de Selton Mello que reflete um pouco sobre identidade, reconhecimento e seu papel dentro do ambiente onde vive.

Compartilhe!
error0
Author

Cofundadora e Gestora Executiva de Cursos e Eventos do InfoBranding Cofundadora e Gestora Executiva de Cursos e Eventos do InfoBranding. Administradora formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com especialização em Gestão de Marcas e Branding pela BSP Business School São Paulo, Gestão de Organizações do 3º setor, pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, Magistério do Ensino Superior pela PUC-SP – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e EaD Elaboração de Material, Tutoria e Ambientes Virtuais pela Universidade Cruzeiro do Sul. Atuou em Consultoria de Marketing e Educação, com desenvolvimento de estudos e pesquisas sobre cultura e identidade organizacional, governança corporativa e estudos de mercado. Atua como professora orientadora de Projetos Finais na BSP Business School São Paulo, professora de Pós-graduação do Centro Educacional Belas Artes e Docente de Ensino Superior dos cursos de Negócios na Faculdade das Américas – FAM.

2 Comments

  1. Leila Brito Reply

    Olá Denise!
    Crenças e valores muito importantes na formação do homem e dos nossos colaboradores, sem isso é como construir prédio em terreno arenoso.
    Bjo
    Leila Brito

    • Denise Cavalcanti Reply

      Leila, obrigada pela sua contribuição. Todos esses fatores estão ligados e ajudam na formação do cidadão, e claro tudo isso refletirá em suas ações ao longo de sua vida.. pessoal ou profissional!
      Bjo!

Write A Comment