fbpx

Alinhamento de estratégias de Branding e Performance na Black Friday

A Black Friday está chegando e a Labelium, consultoria que desenvolve soluções para a otimização de performance digital para companhias de luxo, moda, beleza e turismo, compartilhou 6 dicas de marketing digital para potencializar as estratégias neste período. E o alinhamento de estratégias de branding e performance, além do planejamento de canais e dados de performance estão entre elas. Confira:

Os e-commerces e marketplaces começam a traçar estratégias de negócios e marketing para captar o máximo de atenção dos consumidores e aumentar o lucro com a chegada da Black Friday. Grande aliado das marcas nesse contexto, o marketing digital é uma ferramenta poderosa de atração de público-alvo.

  1. Conheça seu público-alvo

Antes de traçar estratégias e objetivos, é essencial que haja um claro conhecimento do público-alvo. Essa compreensão não é somente quantitativa, é preciso ter um olhar qualitativo sobre a audiência e aplicar esse conhecimento nas milhares de possibilidades de segmentação que o digital oferece

  1. Alinhamento de estratégias de negócios e marketing

“Investir na Black Friday só por que seu concorrente está fazendo não é o melhor caminho. Faz sentido apostar em uma data de varejo agressiva para o seu negócio? Você é uma indústria? Um marketplace? Um varejo? Nem sempre uma data de vendas agressivas faz sentido para todo negócio”, analisa Gustavo Franco, Country Manager da Labelium.

  1. Alinhamento de estratégias de branding com performance

“Após a disputa do branding ou performance, a discussão é acirrada dentro dos times de marketing quanto ao destino dos investimentos: devo colocar mais investimento em branding ou em performance? A verdade é que o balanceamento de ambos é o que torna um negócio saudável”, pontua Franco. Quando os investimentos em performance param de escalar, possivelmente há outras variáveis envolvidas: de mercado ou, em grande parte, de marca. A disponibilidade mental do consumidor está sendo disputada cada vez mais pelas marcas e, por isso, é crucial que a marca esteja presente nessa equação: um consumidor que conhece uma marca tem até 70% de chance a mais de comprar do que o que não conhece. O problema é que como os investimentos em branding são difíceis de mensurar, eles são questionados, o que acaba fazendo as empresas adotarem estratégias de curto prazo, a exemplo de datas como a Black Friday.

4. Seleção de canais

Relacionado ao alinhamento de estratégias de marketing e negócios, também é importante definir, de maneira clara, quais canais serão utilizados em cada oportunidade e, consequentemente, qual será o público impactado. A especialização nos canais é chave e com uma jornada de compra cada vez mais fragmentada, irão surgir profissionais altamente especializados nas competências de search, social, vídeo, programática, etc. A velocidade com que cada plataforma evolui e disponibiliza novas funcionalidades de mídia é grande demais para um profissional somente gerenciar e acompanhar: é aí que uma consultoria faz toda a diferença. “Por exemplo, uma campanha no Instagram possui canalidade, linguagem e objetivos diferentes de uma no TikTok e por aí em diante – não são só variáveis técnicas, mas também comportamentais.”, opina Franco.

5. Acompanhamento de tendências e redes sociais

Nesse sentido, é importante pesquisar o que foi feito na data anterior e deu certo, mas também adequar-se aos conteúdos atuais de tendências nas redes sociais e canais para que os materiais também não fiquem obsoletos e somente relacionados ao que já obteve resultados positivos anteriormente.

Um recente estudo da Labelium sobre o desempenho das redes sociais na América Latina apontou que o Facebook continua sendo a plataforma líder, por enquanto. Em 2023, a base de usuários na América Latina será 1,4 vezes maior que a do Instagram e mais que o dobro da do TikTok. Porém, a estimativa é que o Instagram ultrapassará o Facebook no Brasil, seu maior mercado na América Latina, em 2025.

6. Avaliação de dados de engajamento da marca

Também é essencial avaliar dados já existentes da empresa como preço dos produtos que serão inseridos na Black Friday para avaliar quais descontos serão oferecidos. Mas, não somente, deve-se levar em consideração o estado atual da marca e principalmente utilizar dados comparativos de meses ou anos anteriores para medir o sucesso do produto e a atratividade das mensagens. Também é importante documentar os dados atuais para que estes sirvam de insumo para análises futuras.

Por fim, a comunicação envolve emissor e receptor, então, a cada ação feita, é essencial ouvir os feedbacks, uma vez que é possível que a marca não acerte de primeira e, nesse sentido, escutar é fundamental para evoluir e atingir o propósito desejado ainda na Black Friday ou em campanhas futuras.

Foto: Ivan Samkov