Author

InfoBranding

Browsing

Nesta segunda-feira (23/3) acontece o Boma Covid-19 Summit, evento global com mais de 20 horas de informação via streaming sobre a pandemia. Promovido pela rede Boma em parceria com a ferramenta Zoom e o Facebook, mais de 60 especialistas de 20 diferentes países, entre médicos e especialistas em saúde pública, líderes empresariais, psicólogos, economistas, educadores, biohackers e ativistas falarão sobre o impacto do Covid-19 em suas áreas.

A participação é aberta ao púbico, que poderá fazer perguntas ao vivo aos especialistas convidados. Para fazer a inscrição, acesse AQUI e a programação completa pode ser conferida no site do evento.

Serão 11 sessões ao longo do dia, todas realizadas em inglês – exceto a do Brasil, em português, programada para as 19h, e a da França, em francês.

Na sessão do Brasil, às 19h, os convidados serão o economista e ex-Ministro da Fazenda Joaquim Levy, o jornalista Jamil Chade, o médico infectologista Celso Granato, do Grupo Fleury, e a cientista Jaqueline Goes de Jesus, uma das coordenadoras da equipe que realizou, em menos de 48 horas, o sequenciamento do genoma do vírus.

Confira as sessões e seus temas:

Período da manhã (horário de Brasília):

  • 3:00 – Sessão 1: Nova Zelândia – O vírus e como combatê-lo.
  • 5:00 – Sessão 2: Japão – Manejando a epidemia.
  • 6:15 – Sessão 3: Alemanha – Manejando a crise.
  • 7:00 – Sessão 4: China – Resiliência diante do primeiro surto.
  • 9:00 – Sessão 5: Canadá – Decisões inteligentes em tempos turbulentos.
  • 11:00 – Sessão 6: Índia – Um futuro diferente.

Período da tarde (horário de Brasília):

  • 13:00 – Sessão 7 : Polônia – Reinventando nosso mundo.
  • 15:00 – Sessão 8: França (em francês) – Curando a sociedade.
  • 17:00 – Sessão 9: Portugal / Quênia – Empoderando pessoas via tecnologia.
  • 19:00 – Sessão 10: Brasil (em português) – Alerta precoce e rápidas ações.
  • 21:00 – Sessão 11: Estados Unidos – Inovação extrema para uma crise extrema.

A Arcos Dorados, maior franquia independente do McDonald’s no mundo, acredita na união de forças para que o país possa superar esse momento de pandemia causada pelo novo Coronavírus (COVID-19). Pensando nisso, a rede decidiu apoiar micro e pequenas empresas do setor de alimentação no Brasil, abrindo turmas de formação gratuita e online voltadas a profissionais que atuam nesse segmento.

Os cursos contarão com uma grade dividida em três pilares principais, áreas em que a companhia é reconhecida internacionalmente por sua excelência e consideradas esferas fundamentais para garantir medidas de prevenção de contaminação por microrganismos, incluindo o novo Coronavírus:

  1. Segurança Alimentar
  2. Higiene
  3. Desenvolvimento Sustentável

“Nesse momento delicado pelo qual estamos passando globalmente e aqui no nosso país, decidimos compartilhar o nosso conhecimento com estabelecimentos que poderão se beneficiar dele da melhor forma e dar uma contribuição inicial para vencermos juntos esse grande desafio”, comenta Paulo Camargo, Presidente da Divisão Brasil da Arcos Dorados.

Além de sua reconhecida atuação no setor, atendendo os mais rigorosos protocolos de segurança do alimento, a Arcos Dorados também busca ressaltar a importância da educação. No Brasil, a companhia conta com um centro de formação, batizado de Universidade do Hambúrguer, que servirá como base para a iniciativa. A empresa investe por ano cerca de 40 milhões de reais em treinamento, contando com estratégias educacionais de ponta.

Com início programado para a próxima semana, os cursos terão inicialmente vagas limitadas. As inscrições serão abertas a partir de 23/03, por meio do site https://trilhas.info/. Poderão participar donos de pequenos estabelecimentos do setor e seus empregados.

“Nossa empresa está comprometida em apoiar a busca de soluções para esse contexto que estamos vivendo e entende que compartilhar sua expertise é uma das maneiras iniciais para contribuir. Estamos atentos e vamos continuar buscando oportunidades de cooperar com as pessoas”, explica Paulo Camargo.

Medidas da Arcos Dorados contra a COVID-19

A Arcos Dorados tem como prioridade proteger a saúde e bem-estar de seus funcionários e clientes. A companhia implementou um comitê focado especialmente em monitorar e agir em torno de diversos assuntos relacionados ao tema. Entre as iniciativas implementadas pela empresa, está o home office ou licença remunerada para seus colaboradores que pertencem ao grupo de risco, em todos os setores, inclusive restaurantes, e a recomendação de trabalho remoto para todos os funcionários da sede administrativa; suspensão de viagens e reuniões presenciais; reforço dos protocolos de higiene em todos os restaurantes da rede, como aumento na frequência da limpeza de equipamentos, totens de atendimento, portas, mesas e cadeiras; ampliação do número de dispensers de álcool em gel nos restaurantes; além da intensificação da comunicação interna com informações educativas sobre o tema.


Diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), muitas marcas têm colaborado com serviços, informações e suporte para que os brasileiros possam enfrentar essa situação. O InfoBranding colabora com o compartilhamento destas ações e apoio das marcas AQUI.

A Ame Digital, fintech e plataforma de negócios mobile, está promovendo o movimento #AmeFazerSuaParte com o objetivo de incentivar a sociedade a pensar coletivamente em prol do bem comum durante o combate ao COVID-19.

Neste momento em que a empatia torna-se ainda mais um fator-chave para a sociedade, a fintech tem utilizado seus canais de comunicação para a divulgação de conteúdos de disseminação de boas práticas e de apoio a quem está de quarentena, assim como colocou seus funcionários em esquema de home office, seguindo as recomendações das autoridades de reduzir o fluxo de pessoas nas ruas.

Outra iniciativa da Ame Digital utiliza a tecnologia do aplicativo como um meio de ajuda aos mais necessitados, uma parceria com a ONG Ação da Cidadania, incentivando doações de cestas básicas às comunidades em risco social, mais impactadas diretamente pela pandemia e que estão em quarentena “forçada”.

Para motivar as doações, a Ame Digital oferece 50% de cashback como contrapartida para quem doar através do aplicativo.

Como fazer uma doação?

Basta acessar a aba de doações do app, que fica dentro de “transações”, clicar na instituição “Ação da Cidadania” e escolher o valor a ser doado.

A ação acontece inicialmente até o dia 27/03, sexta-feira, podendo ser prorrogada, com limite máximo de 15 reais de cashback por usuário. As doações serão feitas para comunidades em risco social, mais impactadas diretamente pela pandemia.

A ONG Ação da Cidadania está intensificando sua atuação de distribuição de alimentos por todo o país e apelando para a sociedade civil e para o setor privado que ajudem as famílias mais atingidas pela crise de saúde e econômica.

Mais informações sobre a ONG aqui.


Diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), muitas marcas têm colaborado com serviços, informações e suporte para que os brasileiros possam enfrentar essa situação. O InfoBranding colabora com o compartilhamento destas ações e apoio das marcas AQUI.

Infelizmente muitas fake news acabam sendo plantadas em meio ao conteúdo necessário acerca da pandemia de coronavírus que tem impactado o cenário mundial.

Pensando nisso e acreditando que a melhor arma para a prevenção e a colaboração com o coletivo é a informação de qualidade, os jornais O Globo e Extra criaram um robô que oferece serviço pautado em informação com credibilidade, organizando por temas que vão desde o que é coronavírus até os boatos e verdades sobre a doença.

“O objetivo do robô é oferecer todas as informações sobre o novo coronavírus, tirando dúvidas urgentes das pessoas. O processo automatizado torna mais rápida e fácil a consulta dos principais temas que envolvem a crise, com respostas claras e objetivas. Montamos um processo de atualização contínua dos temas e questões mais urgentes”, explica Fábio Gusmão, editor de Projetos Especiais do EXTRA.

Na plataforma, aberta a todos os leitores, as respostas surgem a cada pergunta feita pela própria pessoa, onde o robô está pronto para responder às principais dúvidas da população, como de que forma a Covid-19 age, seus sintomas e formas de tratamento, dicas de prevenção e medidas que impactam a sociedade.

O novo serviço já está disponível e pode ser acessado pelos links: O Globo ou Extra.


Diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), muitas marcas têm colaborado com serviços, informações e suporte para que os brasileiros possam enfrentar essa situação. O InfoBranding colabora com o compartilhamento destas ações e apoio das marcas AQUI.

A Cimed, quarta maior farmacêutica do país, direcionará uma de suas linhas de manufatura para a produção de álcool gel 70%. O lote inicial, com 250 mil unidades, será doado a seus quase 5 mil colaboradores e respectivas famílias, à população da região de Pouso Alegre – MG (cidade que abriga a fábrica da empresa) e às Unidades Básicas de Saúde (UBS) do estado de Minas Gerais.

Em medida anunciada pelo governo federal ontem, 19 de março, as UBSs passarão a receber a maior parte das pessoas com sintomas leves do novo Coronavírus (Covid-19). A medida foi tomada para desafogar os hospitais que precisam focar o atendimento nos casos graves da doença. Além disso, Minas Gerais antecipou a campanha de vacinação contra a influenza. O objetivo é ajudar profissionais de saúde na triagem de casos para o novo coronavírus. Com o aumento do fluxo nas UBS do estado, a Cimed entende que o álcool gel poderá contribuir na proteção e segurança das pessoas nesses locais.

A farmacêutica, consciente da importância de ações preventivas e da atual necessidade do sistema de saúde, vai continuar produzindo os medicamentos tão necessários nessa época de pandemia. Por isso, uma das linhas de produção da divisão de higiene e beleza será liberada para a fabricação do álcool gel. Assim, a companhia se compromete com a população, e garante que a sua produção não será prejudicada.

A entrega do antisséptico será de inteira responsabilidade da empresa. Com isso, a Cimed vem reforçar que, como uma das principais representantes do setor, tem papel essencial e fundamental para a saúde pública. Atualmente, a companhia fabrica 650 produtos. O álcool gel será integrado a esse portfólio.

Sabendo também da sua responsabilidade em relação a seus colaboradores, a empresa comunica, ainda, que tem um sólido plano de contingência para os trabalhadores da fábrica, das áreas de logística e de atendimento às farmácias. Medidas essas que visam a segurança ao obedecer as recomendações dos órgãos de saúde competentes.


Diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), muitas marcas têm colaborado com serviços, informações e suporte para que os brasileiros possam enfrentar essa situação. O InfoBranding colabora com o compartilhamento destas ações e apoio das marcas AQUI.

Diante da necessidade do isolamento para conter a pandemia do coronavírus, muitas marcas têm colaborado com serviços, informações e suporte para que as pessoas continuem evitando a saída de suas casas.

A Centauro, rede multicanal de artigos esportivos, promoverá diariamente treinos gratuitos que serão transmitidos ao vivo, em diferentes horários, em seu canal do Instagram (@centauroesporte). As aulas serão conduzidas por um grupo de profissionais de educação física credenciados com o objetivo de incentivar a prática de atividades físicas, auxiliando as pessoas a se manterem em movimento mesmo sem sair de casa.

Com duração de aproximadamente 30 minutos, os treinos trarão um momento especial de cuidados com a saúde e descompressão, já que o esporte é um grande agente transformador da vida das pessoas, e pode contribuir positivamente no atual cenário.

A agenda do dia seguinte sempre estará disponível no Instagram e no Facebook da marca, com as modalidades que serão oferecidas (entre alongamento, mobilidade e funcional) e o perfil do profissional que conduzirá cada atividade.

Além disso, a marca dará 15% de desconto e frete grátis no site em produtos que ajudam na prática de exercícios em casa, como colchonetes, faixas elásticas e halteres. Mais informações aqui.


Diante da pandemia do coronavírus (COVID-19), muitas marcas têm colaborado com serviços, informações e suporte para que os brasileiros possam enfrentar essa situação. O InfoBranding colabora com o compartilhamento destas ações e apoio das marcas AQUI.

Estamos enfrentando um período de crise global. O Coronavírus (Covid-19) se propaga em grande velocidade, causando sérios problemas de saúde pública – o ponto mais preocupante – além de consequentes impactos negativos aos mercados mundo afora.

Às marcas e negócios, bem como aos profissionais, se impõe o desafio de manter a produtividade e encontrar soluções para minimizar as perdas inevitáveis ao mesmo tempo em que se busca cumprir as recomendações de isolamento da OMS e governos.

Nesse contexto, o home-office vem se destacado como uma das soluções possíveis para produtividade remota.

No entanto, o tema levanta também certa polêmica na medida em que muitas empresas ainda não consideram a alternativa remota como uma opção para os seus negócios, mesmo quando viável (uma vez que nem todos os negócios conseguem adotar o modelo) e tendo a tecnologia como aliada acessível e presente em suas realidades.

O problema?  Seu Mindset – a maneira como essas empresas e seus gestores encaram a realidade e adequam suas atitudes para atuar de forma a conquistar, ou não, seus objetivos.

Quando falamos de Transformação Digital, falamos sobretudo de comportamento. Ou seja, como as pessoas e negócios aplicam a tecnologia ao seu dia a dia com foco nas oportunidades que ela pode trazer.

O Mindeset então passa a ser orientado para o crescimento exponencial e flexibilidade do digital, com reflexo nos processos de planejamento, gestão e desenvolvimentos dos produtos serviços.

O livro Mindset- A nova psicologia do sucesso, de Carol S. Dweck aborda essa questão e ilustra como podemos trabalhar nossas atitudes, percepções e objetivos para alcançar o sucesso ou, como no caso do momento delicado do que vivemos, nos adequar as mudanças.

Que tal aproveitar o tempo em casa para essa leitura estimulante!? Entender como trabalhar seu Mindset é determinante não apenas para se adequar as necessidades que vieram com a pandemia, mas para acompanhar a transformação digital e manter sua marca relevante em um cenário cada vez mais conectado.

Se por um lado existe a tecnologia como ferramenta de facilidade para uma melhor e mais rápida conexão com o consumidor que, como tendência, ganhará em importância e destaque no mercado; por outro lado, de nada valem essas novas facilidades se a comunicação entre marca e consumidor não for íntegra e coerente do começo ao fim.

É neste momento que se confirma a importância do branding como um agregador de valor à marca e de experiências ao consumidor. Com ele, o propósito é desenhado e incorporado de forma diferenciada, com valores mais perceptíveis e, como consequência, se torna a promessa daquela marca ao cliente.

Ainda que essa promessa seja bem comunicada e conquiste, num primeiro momento, a atenção do consumidor, é a sua entrega que garantirá a fidelização necessária. Por este motivo, a função do branding no processo de estratégia como um todo, desde a concepção da marca, definição de propósito, e ao longo do relacionamento com o cliente, se torna um processo de longo prazo, além de essencial.

Sendo assim, o propósito se torna a ponte entre a marca e seus consumidores, uma vez que direciona intenções, ações e visões transformadoras para um futuro em que pessoas que compartilham dos mesmos valores também querem participar e, por isso, se tornam mais abertas ao diálogo e relacionamento, dando preferência àquela marca em meio a tantas opções disponíveis.

Para tanto, a promessa precisa ser comunicada e os profissionais da área precisam entender que, diferente do que muitos pensam, comunicação não é o que se transmite, mas sim o que é entendido e absorvido.

Visando que as ações de comunicação podem reduzir, ao máximo, a margem de erro do entendimento do consumidor, branding e propósito de marca tornam-se mais uma vez imprescindíveis no alinhamento das ações online e offline.

São essas ações as responsáveis pela conexão com o público-alvo e serão elas, ora elogiadas e compartilhadas; ora criticadas e, infelizmente, também compartilhadas.

É no compartilhamento, na divulgação de experiências de seus clientes com a marca que se pode identificar se o propósito está sendo praticado e percebido de maneira assertiva ou se as ações estão sendo trabalhadas e compreendidas de forma negativa. Neste momento, o acompanhamento das reações de seus consumidores e a resposta rápida, alinhada e sincera, como um exemplo de aproximação com o cliente, faz a diferença e pode garantir que o cliente, mesmo tendo alguma experiência negativa, se torne um embaixador da marca.

A humanização das mesmas cria um vínculo com esse consumidor que permite (e exige) que ela assuma seus erros e os comunique, mas que também se redima e ganhe melhor aceitação do cliente por tratá-lo de forma mais humana e com proximidade.

O propósito da marca deve, portanto, ser criado e implementado de dentro para fora, mas sempre com o foco no mercado. O branding deve fundamentar toda e qualquer estratégia da marca que, junto com o marketing de conteúdo permitirá a diferenciação da mesma na multidão de marcas existentes no mercado, conseguindo destaque diante dos olhos exigentes do consumidor.

Por fim, como dito anteriormente, permitirá a fidelização desse relacionamento com o consumidor e poderá transformá-lo em embaixador da marca se for bem comunicada e trabalhada a longo prazo.

Para criar um valor de marca forte, é preciso ter um posicionamento claro e coerente, bem como um conjunto autêntico de diferenciação que apoie esse posicionamento.

Ou seja, a importância da aplicação do branding nas marcas com um propósito bem delineado pode gerar conteúdo e ofertar ao mercado promessas condizentes com a organização, criando laços a longo prazo com o consumidor e permitindo, não só a fidelização já citada, mas também a propagação na rede de contatos onde o seu consumidor convive.


Case Reserva

Uma marca com propósito claro e que vem fazendo diferença no mercado brasileiro é a marca Reserva, que foi considerada pela Revista Fast Company como uma das marcas mais inovadoras do mundo.

O propósito da marca está presente em todas as lojas, onde encontra-se um painel que define bem o que é ser uma marca preocupada com as pessoas e que tem como propósito cuidar, emocionar e surpreender as pessoas todos os dias.

Sempre acreditamos que por trás de grandes marcas sempre temos grandes líderes. É o caso do Rony Meisler, fundador da grife Reserva. Sua gestão é divertida, inovadora e criou um estilo de liderança que combina essas práticas divertidas e de gestão com a crença de que fazer o que se ama é fundamental para os negócios.

Meisler mudou o nome da área de gestão de pessoas para “fontes humanas” e o marketing interno foi batizado departamento de “felicidade”, cuja função é criar um ambiente de trabalho mais divertido e feliz. Uma das invenções mais queridas é um programa que estimula os funcionários a indicar uns aos outros pelo bom trabalho. No fim de cada mês, um comitê escolhe os melhores e os vencedores têm um sonho realizado — ao entrar na empresa, cada funcionário precisa dizer ao RH três sonhos (possíveis) de ser cumpridos.

Quanto o propósito, é claro, a empresa gira em torno de pessoas e a missão de Meisler é orientar a cultura da empresa. Com isso o resultado não poderia ser outro se não resultados positivos para a imagem da marca, engajamento da equipe e retorno financeiro.

No mundo contemporâneo, a sociedade enfrenta um período de mudanças com rápidas transições em todos os âmbitos. O fluxo de informações intercambiáveis e de tecnologias envolvendo sua troca têm permitido que, cada vez mais, pessoas tenham acesso a volumes maiores de conteúdo. Em contrapartida, vive-se um momento de saturação, no qual o usuário tem tantas fontes para consumir este conteúdo que torna desafiador para quem fornece informação competir não só pela atenção do público, mas por algo ainda mais importante: sua fidelidade.

A análise da humanização das marcas se faz relevante considerando a tendência percebida atualmente como tentativa de engajar novos e antigos clientes, em especial aqueles pertencentes à nova geração de consumidores, cujo perfil de compra é diretamente influenciado pela era digital, pela liquidez da modernidade, pelas relações sociais e desejos internos de agora “ser”, em detrimento de “ter”.

É importante lembrar que não basta estabelecer que uma marca se refere a determinado produto: é preciso validar esse reconhecimento orientando o consumidor sobre sua identidade, ao que ele se propõe e o porquê aquele, dentre tantos outros produtos semelhantes, é o ideal.

Antes com suas forças centradas em oferecer ao consumidor valores humanos muito além de simples serviços, culturas ou produtos, o marketing não somente compreendeu a consciência do usuário como também o seu poder ao percebê-lo dotado de acesso às tecnologias.

O modelo de consumir evoluiu gradativamente à medida que o foco mudava. Num primeiro momento, de produto para consumidor e, posteriormente, deste consumidor para o ser humano que ele é: dotado de personalidade, ideais e senso de individualidade.Ao passo que, quando os clientes tomaram consciência do seu poder no meio, a comunidade global passou a se adequar aos modelos “impostos”, centrando seus esforços em acompanhar a jornada desse consumidor emergente, conectado e inquieto, numa tentativa de engajá-los.

Em meio a essa abordagem, convém citar o termo “cibridismo”, que representa a atualidade e nada mais é do que a ponte que conecta o online e o offline. A abordagem se faz pertinente já que, numa discussão sobre a era digital e o cenário do marketing, é preciso esclarecer que o marketing digital não tem a pretensão de substituir o marketing tradicional. A coexistência é imprescindível para que ambos se alicercem na conquista do consumidor.

Não há dúvidas de que o cenário atual é desafiador, especialmente quando potenciais clientes são constantemente expostos a uma carga excessiva de tudo: tanto online, através da publicidade na internet, quanto offline, por meio das opiniões emitidas por aqueles que compõem seu círculo social. De fato, não há fórmula exata para tornar uma marca relevante, mas é fundamental observar que o “caminho do consumidor” pode ser um grande passo na compreensão do perfil para o qual apontar. Desse modo, o foco se configura como uma das chaves principais na distinção e, consequentemente, do valor atribuído à marca.

Já faz algum tempo que o branding tem sido incorporado e trabalhado como elemento do cotidiano das empresas. O seu papel se tornou decisivo nesse cenário globalizado e, no que tange à boa gestão de uma marca, a diferenciação é o fator responsável por tornar a concorrência mais tolerante.

Do ponto de vista do marketing, o consumidor detém o poder decisivo no cenário atual e, apesar de parecer dicotômico, nesse momento ele tem manifestado muito mais seu lado humano. O desafio agora é, então, tornar as marcas mais humanas: criar um fator de identificação com esse público que é constituído por um sem fim de personalidades que não tem nada em comum além de vulnerabilidade.

As marcas vivem um momento em que não deve poupar esforços na aproximação com seu público e, assim, criar laços de amizade.

Ao abordar ansiedades e desejos que tocam o coração do público consumidor, as marcas passam a centrar seus esforços na autorrealização ao passo que elas próprias se tornam também humanas.

É possível interpretar desse contexto que existe uma necessidade de constante reinvenção por parte das marcas para sobreviver no “mercado do momento”. Produto, preço, praça e promoção já não são mais os únicos motores que levam uma pessoa a consumir algo.

As necessidades funcionais ainda estão presentes e sempre estarão, mas as pessoas têm buscado algo mais, às vezes algo quem nem mesmo elas sabem exatamente o quê. E éaí que mora a oportunidade de transformar um cliente em fã: conhecê-lo a ponto de saber o que oferecer para ele em determinado momento – e sabendo quem ele é.

Na atual configuração da era digital da informação,identifica-se a força de um cenário que já não se pode mais deixar de pertencer. A cultura da internet que hoje fomenta a criação e disseminação de conteúdo, de forma massiva e num tempo outrora inimaginável, é a mesma responsável pelo afastamento espacial dos seus usuários.

Considerando esse cenário, percebe-se que o meio digital vive em dicotomia e revela-se como um grande desafio para o mercado atual: o de conciliar, falar muito e conseguir, também, fazer muito. O alinhamento das expectativas externas ao propósito de marca tem se mostrado a melhor aposta das empresas na conquista de visibilidade e engajamento.

A valorização da transparência em uma comunicação sem ruídos e sem rodeios tem oferecido às pessoas um relacionamento que elas estimam ao ponto de desejarem repetir. O valor de discursos que promovem vantagem competitiva norteia o surgimento, desenvolvimento ou reposicionamento de uma marca rumo ao sucesso.

A Nubank, startup brasileira do segmento financeiro, é uma fintech que nasceu em 2013 e vem com esta proposta íntima com seus clientes, atuando como operadora de cartões de crédito e oferecendo como produto o seu próprio cartão no mercado.

Com o objetivo de acabar com a complexidade e burocracia inerentes aos modelos vigentes, aos quais os usuários estão exaustivamente acostumados, a Nubank pretende devolver aos seus clientes o controle do que é deles por direito, propondo resoluções através de sua tecnologia de ponta e esmero com o design.

Apesar de jovem, a Nubank já é um grande case de sucesso de companhia que se utiliza da humanização, desde a sua fundação, para se comunicar com os usuários. Ela estabelece um diálogo objetivo e direto com cada cliente – tratando-os como indivíduos – valorizando opiniões e recebendo em troca a sua merecida confiança, valendo-se dessa troca, que é fruto desse processo de colaboração para obter resultados satisfatórios.

O que comprova que investir na elaboração de um trabalho de branding, com ênfase na humanização, é o cerne da prática orientada para o desdobramento do propósito de uma marca.

Em filme criado pela agência Africa sobre a linha Sadia Bio, marca evidencia toda a dedicação no processo de produção dos frangos desde a criação até o produto final, permitindo que o consumidor se conecte com a origem do alimento.

A marca Sadia, que há mais de 75 anos está presente no dia a dia do consumidor, estreia campanha que evidencia o cuidado, a dedicação e a transparência da produção da linha Sadia Bio, ao destacar a origem dos alimentos e a rastreabilidade do produto. A marca é pioneira no mercado ao disponibilizar ao consumidor a possibilidade de saber qual família produziu o lote do produto que está consumindo.

Foto: divulgação.
Foto: divulgação.
Foto: divulgação.

Inspirada no posicionamento da marca, ‘Quanto mais você sabe, melhor a Sadia fica’, a proposta é estabelecer um diálogo próximo com o consumidor. Baseado nisso, o filme conta como os frangos da linha Bio são criados, por meio das histórias de quatro famílias produtoras, selecionadas cuidadosamente pela Sadia. A peça de 30’’, desenvolvida pela agência Africa, traz a família Galeski como protagonista, ressaltando o carinho e o comprometimento.

O filme destaca a função de rastreabilidade do produto, principal diferencial da linha Bio, que permite que o consumidor saiba a origem do produto que está colocando em sua mesa. Com o número do lote em mãos, localizado na embalagem do produto, é possível saber qual família criou o frango que está consumindo. O caminho é simples: basta acessar o site oficial www.sadia.com.br/bio e digitar o código do produto. Dessa forma, a Sadia reforça o conhecimento da qualidade superior, um dos pilares do posicionamento da marca.

“A narrativa da campanha reforça esse laço de confiança que criamos com o consumidor e o compromisso da qualidade superior que temos em nosso portfólio. É um filme que mostra o carinho e cuidado da Sadia ao escolher as famílias produtoras para a linha Sadia Bio, ao mesmo tempo que destaca a importância das pessoas saberem a origem dos alimentos que estão consumindo”, afirma Marcelo Suarez, diretor de marketing da BRF.

A campanha será veiculada na TV com reforço no ambiente digital, além de mídia exterior (Out of Home) e pontos de venda, ambos em São Paulo.


Sobre a marca:

SADIA

Líder há vários anos em diversas categorias pela pesquisa Top of Mind, Sadia está presente na mesa do consumidor desde a década de 1940. Ao longo desse período, conquistou a confiança do público por meio de atributos que são valorizados até hoje, como qualidade superior, sabor, praticidade e o uso de ingredientes selecionados. Sadia é democrática, com opções para todos os públicos. Com o conceito ‘Quanto mais você sabe, melhor a Sadia fica’, a marca reforça os diferenciais que fazem dela a preferida do brasileiro. Inovadora por vocação, foi a primeira a disponibilizar congelados que facilitam a vida das pessoas, como a reconhecida lasanha Sadia. Ou seja, uma marca que tem no seu DNA o pioneirismo. Sadia está presente em pontos de venda de todo o Brasil, oferecendo um amplo portfólio de produtos que complementam o cardápio das principais refeições do dia e reconhecidos pelos consumidores.