Author

Felipe Versati

Browsing

A Associação Cruz Verde viu nas redes sociais uma maneira de divulgar sua marca.

A ONG atua há mais de 50 anos e é referência no atendimento e auxílio as pessoas, principalmente crianças, com paralisia cerebral. Porém, dentre as entidades do terceiro setor não é uma das mais conhecidas.

Entretanto, encontrou numa ação de marketing viral uma forma de propagar sua marca e divulgar a causa que defende.

A campanha Vista a Nossa Camisa e Diga Sim Para a Cruz Verde tem como objetivo presentear artistas e pessoas influentes com uma camiseta da entidade, o intuito é que as celebridades postem em suas redes sociais uma foto com a camiseta, utilizem as hastags #EuDigoSim #CruzVerde, o site da Associação e convidem os seus seguidores à compartilhar o apoio à organização.

Alguns famosos já aderiram a campanha:

deborah

mara

 

otavio

Atualmente, num mundo tão conectado, onde qualquer bobagem toma proporções mundiais, tomara que mais ações como esta se tornem um ótimo vírus e que se propague o bem entre as pessoas!!!

Compartilhe!
error0

Olá queridos leitores, nesse artigo contarei a história de uma marca nova no mercado, InfoBranding.

– A origem.

Tudo começou no ano de 2012, quando profissionais de diversas áreas como design, marketing, publicidade e propaganda, administração, entre outras, resolveram cursar uma pós-graduação em Gestão de Marcas e Branding pela Business School São Paulo.

Quase no final do curso, alguns desses alunos decidiram levar o conteúdo para além das suas carreiras, pensaram em criar um portal que reproduzisse os debates e estudos realizados sobre o tema.

Essa ideia foi apresentada para uma das professoras do curso, ela demonstrou interesse e resolveu “abraçar” a proposta. Aproveitou para unir as 2 turmas de branding da BSP, uma que cursava no campus Vila Olímpia, a outra do campus Paulista. Então, foi dada a largada para a criação da marca.

Nada é impossível. Se puder ser sonhado, então pode ser feito.”  Theodore Roosevelt

Em janeiro de 2013 aconteceu a primeira reunião, nela definiu-se os fundadores, 11 – Amanda, Carlos, Denise, Felipe, Fernando, Gabriel, Leonardo, Letícia, Márcia, Priscilla e Vanessa.

5

Nos primeiros encontros foram criados o nome InfoBranding, derivação de Informações sobre Branding, e o descritivo “Marcas, Ideias e Afins”. Logo em seguida, escolheu-se a cor azul claro e azul marinho (serenidade e harmonia). O azul, pois ele favorece o exercício intelectual e estimula a criatividade.

Depois, os designers partiram para a criação do logotipo e identidade visual, enquanto a outra parte da turma desenvolvia o tom de voz que seria adotado e fazia o descritivo do propósito da marca.

4

– Propósito, esse que é o alicerce de todo o trabalho desenvolvido:

Um bate-papo descomplicado e descontraído sobre branding.

Veio o plano de comunicação e os pontos de contato com a marca; além do portal, redes sociais (Facebook, Google+, YouTube, SlideShare), também criou-se um evento, com o apoio da BSP (Business School São Paulo), ai foi um “corre-corre” para realizá-lo, além dos preparativos para deixar o portal prontinho, pois ele seria lançado nesse evento.

– Em 17 de abril de 2013 aconteceu o 1º Diálogo InfoBranding (saiba mais http://ibranding.tk/1hrHoSW ) e oficialmente nessa data o InfoBranding é lançado.

Após o evento, por motivos pessoais o Leonardo deixa a equipe, mas continua colaborando sempre que pode. O Lauro é incorporado ao time.

– Começa uma nova fase – Produção de conteúdo.

Artigos, entrevistas, notícias e curiosidades sobre gestão de marcas e o mundo dos negócios, cada conteúdo, uma troca de experiências de cada profissional que escreve, sempre respeitando o propósito da instituição.

2Assim foi até outubro daquele ano, pois nesse mês aconteceu mais um evento, o 2º Diálogo InfoBranding (saiba mais http://ibranding.tk/1ki0NVq), com maior presença no mercado e atraindo atenção de importantes patrocinadores.

– Uma ótima e inesperada surpresa!

Em novembro de 2013 a Editora Reflexão, por intermédio de Leila Rabello, convida os InfoBranders para publicarem um livro com seus estudos acadêmicos, eis que surge o primeiro livro da marca, Do Boteco ao Escritório: Práticas de Gestão de Marcas.

3

– 2014 – Os planos são: Vôos mais altos.

Além dos tradicionais artigos, entrevistas e diálogos, o grupo trará mais conteúdo divertido e interessante por aí.

Primeiro: A Leila também tornou-se parte do projeto, além de contribuir com artigos, ela terá uma coluna especial sobre livros úteis para a área.

Mais conteúdo, formatos diferentes: Infográficos, vídeos, cursos, palestras, debates e até o segundo livro da marca. E para comemorar o seu primeiro ano, vem aí o 3º Diálogo InfoBranding – Marcas Brasileiras (saiba mais http://ibranding.tk/1feCDes).

Tem mais, em outubro será disponibilizado ao público o Brand Book do InfoBranding.

Um grupo de amigos se tornou uma família, um projeto virou uma marca. É lógico que o InfoBranding não é apenas diversão e alto astral, não são os Ursinhos Carinhosos, como em toda organização, em todo grupo existem brigas e discussões, mas dai que saem as ideias para transformar conteúdo em informação relevante.

Agora em abril completamos 1 ano de atividades e gostaríamos de agradecer a cada um de vocês que nos motiva a fazer o InfoBranding. Muito Obrigado!!!

Se suas ações inspiram os outros a sonhar mais, aprender mais, fazer mais e ser mais, você é um líder! ”  John Quincy Adams

Compartilhe!
error0

Ok, esse é um portal sobre branding, marketing, design, mas sem música nada disso importa.music

Provavelmente surgirão algumas estratégias de branding no texto, entretanto o foco será a música, a arte de combinar harmoniosamente os sons.

Começo com um conselho, dentre minhas experiências profissionais, acadêmicas, textos publicados até então, tudo que fiz até aqui, música sempre foi o meu segredo, a palavra-chave, fonte inspiradora, ponto de equilíbrio, o remédio, meu vício.

“Sem a música, a vida seria um erro.” Friedrich Nietzche

Seja qual for o estilo musical, escolha os seus e viva por música, acredite, ela faz a diferença e leva ao êxito aqueles que sabem usá-la.

Preste atenção nos filmes, os grandes clássicos do cinema, todos eles são compostos por uma belíssima trilha sonora, por exemplo, The Godfather de Nino Rota composta para um dos maiores longas que já foi gravado, O Poderoso Chefão (The Godfather); Outra trilha de sucesso que casou perfeitamente com o enredo da história é My Girl do The Temptations para a obra Meu Primeiro Amor (My Girl); Para mencionar outro, aproveito o elogiado e considerado dos melhores filmes de 2013, A Vida Secreta de Walter Mitty (The Secret Life of Walter Mitty), a história já é excelente e para completar Space Oddity de David Bowie, perfeito!

“A música é o verbo do futuro.” Victor Hugo

Música é uma arte inexplicavelmente  maravilhosa, me lembro muito bem de Beethoven tocando pelas ruas de São Paulo, para ser mais preciso Für Elise (Para Elise) que acompanha os caminhões de gás nos bairros da cidade, sempre que ouço me lembro da marca Ultragaz.

Música é estratégia? Mas é claro!

Pode ser parte da marca, estratégia de comunicação, é só reparar, muitos pontos de venda já trabalham muito bem a música no ambiente, lojas de roupa com música Pop, Rock ou Eletrônica, as Casas Bahia, por exemplo, toca bastante Forró e as músicas que são sucesso na novela, pois são canções e ritmos que conversam com o público da marca; quem já entrou numa loja da Chilli Beans sabe que as músicas que lá tocam casam perfeitamente com o propósito da organização.

Se usada bem, se torna perfeita nos filmes publicitários, nunca me esqueço de uma propaganda da Faber-Castell onde o filme ilustrava a canção Aquarela (Toquinho) e a música dando forma para a campanha, antigamente inúmeros jingles faziam sucesso e eram cantarolados pelo país.

A Coca-Cola é uma marca que sabe utilizar essa arte muito bem, abaixo um dos comerciais da marca, a canção é Whatever do Oasis, além da sincronia música e filme, preste a atenção na assinatura sonora da marca no final do vídeo.

Assinatura sonora é outra estratégia que utiliza da música uma forma de perceber a marca, além da Coca-Cola, a Intel também criou uma muito interessante, que fixa na cabeça.

Música é tão importante que cada nação tem uma, os chamados hinos nacionais, até clube tem hino, além das canções das torcidas para embalar os times, fazê-los jogarem por música.

Ela cria mitos e lendas, como por exemplo, Elvis não morreu, a maldição dos 27 anos, entre outras; Ela transforma pessoas em gênios, Tchaikovsky, Chopin, Jobim, Lennon, Marley, Waters, Cobain, Mercury (Freddie) e muitos outros…
… Ela tem o seu próprio reinado, Michael Jackson e Madonna, Sinatra, Presley, Roberto Carlos.

A música conta histórias ou você não conhece o tal João de Santo Cristo? Fala de amor, algumas de ódio, outras de um bom lugar pra ler um livro, muitas sobre o quão maravilhoso é o mundo… Enfim, ela é assim, capaz de mudar o planeta, as nações, as pessoas, as marcas. Sinceramente, o segredo é a música!

“A vida é como a música. Deve ser composta de ouvido, com sensibilidade e intuição, nunca por normas rígidas.” Samuel Butler

Compartilhe!
error0

axe_peace_lineup

Domingo, 2 de fevereiro de 2014 é uma das datas mais aguardadas do ano para os americanos, quiçá para a população mundial. Nesse dia acontecerá o Super Bowl XLVIII, um dos maiores eventos esportivos do planeta.

Durante o jogo teremos os tão aguardados comerciais, as marcas preparam filmes exclusivos para veicular durante o espetáculo e o Axe, marca da Unilever preparou um anúncio sensacional diga-se de passagem.

Mais amor por favor, a propaganda comunica o lançamento da nova linha Axe Peace e o melhor, em parceria com a ONG Peace One Day, que por sinal prega a paz mundial (http://peaceoneday.org/pt-br).

Está ai uma linda mensagem para o Super Bowl, confiram o filme abaixo:

 

Obs.: Um fato para lamentar é que o NY Giants não estará no Super Bowl, espero no mínimo ver os Broncos contra os Seahawks; O título da notícia é nome de uma música famosa do Air Supply.

Compartilhe!
error0

black_sabbath_sneaker_510Um co-branding inspirador de duas das marcas mais rock ‘n’ roll do planeta.

A Converse lançará 5 modelos do tradicional All-Star Chuck Taylor com desenhos de capas do Black Sabbath, o tênis que faz parte da história do gênero musical.

A marca já havia homenageado outras bandas como ACDC, Metallica e The Who. Agora é a vez da banda de Ozzy!

Não há previsão de quando o calçado chega ao Brasil, mas já estão à venda nos EUA (http://ads.tt/QNFA). Você que curte o Black Sabbath e o gênero musical fique de olho, afinal “A vida não vai esperar por você“, Ozzy Osbourne.

Compartilhe!
error0

Mais uma temporada do futebol brasileiro se foi e ao invés de alegrias, esse esporte mais uma vez proporcionou aos espectadores selvageria e manobras judiciais.

As marcas olham com muito carinho para os campeonatos profissionais de futebol, atletas, grandes clubes e para a seleção. Porém, o cenário corrupto e selvagem que mostra ser o do futebol brasileiro tem afastado consumidores e empresas.

A montadora Nissan, que patrocinava o Vasco da Gama cancelou o patrocínio depois que a torcida do clube foi literalmente para a guerra num conflito contra a torcida do Clube Atlético Paranaense.

A marca ainda emitiu uma nota sobre a decisão:

nissan

Outro caso que está acontecendo é o de ataque de consumidores contra a Unimed. A empresa é patrocinadora do Fluminense, clube que foi rebaixado para a série B do campeonato nacional, mas conseguiu a permanência após um embate judicial, o clube já havia sido beneficiado judicialmente e também através de outras manobras da CBF.

A Unimed tem sido alvo de ataques, pois se a marca patrocina um clube que costuma se beneficiar através de outros meios que não seja o do campo de futebol, ela se torna conivente com essas atitudes.

unimed

Outras marcas correm o risco de serem atacadas, são o caso de Nike, Gillette, Vivo, Guaraná Antartica, entre outras que patrocinam a Confederação Brasileira de Futebol, entidade essa que é acusada de inúmeros casos de corrupção, como mostra as seguintes matérias: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/o-jornalista-que-expos-a-corrupcao-da-cbf/; http://www.leiaja.com/politica/2013/12/04/romario-corrupcao-da-cbf-influencia-toda-arbitragem/; http://esportes.terra.com.br/futebol/corrupcaonofutebol/interna/0,,OI692247-EI5477,00.html.

Patrocinar o futebol brasileiro e sua maior entidade, a CBF, é vantajoso na exposição da marca e financeiramente, porém é um risco eminente, pois a entidade vive em meio a escândalos; e se uma marca se une a outra de caráter duvidoso, é porque ela compartilha das atitudes e desses ideais. Afinal “ Diga-me com quem andas e te direi quem és “.

A Nissan mostrou que a exposição da marca e o retorno financeiro são importantes, entretanto, o valor da sua marca , sua ideologia, caráter e reputação são muito mais valiosos. Enquanto o futebol brasileiro for rico em manipulação de resultados, brigas entre torcidas e intervenções judiciais, será sempre um risco investir nele.

Compartilhe!
error0

Ecofrotas, Method, Greenpeace, Natura e Timberland. O que essas marcas têm em comum?

São marcas nativas, ou seja, elas nasceram sob o alicerce sustentável, gerenciam seus processos com base em estratégias socioambientais. Pioneiras no segmento e no mercado que atuam, notaram uma real preocupação de bilhões de consumidores e hoje vislumbram de uma imagem positiva perante a sociedade e de milhões de dólares em lucro. Além disso, essas empresas criaram uma nova dimensão da personalidade de marca.

Jennifer Aaker criou as cinco dimensões da personalidade da marca, ações que visam inspirar a paixão do consumidor por uma marca específica. São elas sinceridade, entusiasmo, competência, sofisticação e robustez. Assim sendo, sustentabilidade passa a ser a sexta dimensão, já faz parte do DNA das marcas nativas e deve ser incorporado na personalidade das marcas seguidoras, que desejam implementar a filosofia socioambiental na instituição.

 

Figura 1 – As seis dimensões da personalidade de uma marca

1

Cada marca nativa tem feito sua parte, dentro do segmento que atua e dentro de suas possibilidades.

A Ecofrotas tem como compromisso reduzir o impacto ambiental, a emissão de gases poluentes e dar suporte no descarte de plásticos e pneus. Além de inúmeras certificações, a empresa transformou uma preocupação real em negocio e tem colhido os frutos, hoje ela é líder no mercado nacional em gestão sustentável de frotas e acaba de ser eleita a Empresa mais sustentável do Brasil pelo Guia Exame – Sustentabilidade 2013.

Figura 2 – Logotipo da Ecofrotas

999290_592703984110072_125706702_n

Para conseguir as mudanças que propõe, essas empresas estão tendo que educar os consumidores, seus colaboradores, seus fornecedores e a comunidade onde estão situadas, elas prezam pela sustentabilidade em todo processo que envolve seu produto e serviço.

Mas não só tendo que educar consumidores vivem as empresas, o cenário mercadológico hoje vive um patamar de grande maturidade, inúmeras marcas, inúmeros produtos, pessoas incrédulas para com a comunicação, a marca tendo que atender a filosofia de vida de seu público-alvo, marcas sendo uma representação do estilo de vida público que a usa. Sociedade consciente, pessoas que desejam produtos por fazerem bem a saúde, por não degradarem o meio ambiente, marcas que não terceirizam suas linhas de produção para fábricas que empregam mão de obra infantil, marcas que pensam no planeta.

Assim, em 1999, nasceu a marca californiana Method, quando dois amigos decidiram mudar seu comportamento e o dos outros. Resolveram transformar a limpeza doméstica de uma tarefa árdua e cansativa em algo divertido.

Criaram uma linha de produtos de limpeza e de cuidados pessoais que não agridem o meio ambiente e são seguros para a saúde dos lares e das pessoas.

Com produtos saudáveis, design inovador que alinha beleza e sustentabilidade, é uma marca que tem como público-alvo jovens conscientes que desejam resolver os problemas do mundo. A empresa usa mensagens divertidas e positivas para vender seus produtos.

Mas o principal propósito de produtos de limpeza é ser eficaz na hora de limpar, esse principio básico a Method consegue atender com muita propriedade, além disso, seus produtos economizam no uso de água e não são nocivos à natureza.

Os produtos da marca custam 30% mais que os concorrentes no mercado dos Estados Unidos da América, porém sua participação de mercado tem aumentado, a organização cresce 18% ao ano e fechou 2008 com mais de 100 milhões de dólares americanos de lucro, num cenário de crise econômica.

Na visão mercadológica, deve conciliar a filosofia da marca e o desempenho do produto ou serviço prestado, atendendo um alto padrão de qualidade. Mas como construir uma marca forte quando seu produto ou serviço é intangível?

O Greenpeace, uma organização que não vende um produto ou serviço específico, uma marca que vende um ideal, atitude em prol do meio ambiente. Atuante em mais de 30 países, só no Brasil conta com uma equipe de cerca de 70 membros, além de 250 voluntários, 47 mil colaboradores e 300 mil ciberativistas.

Em nosso país temos a Natura como marca pioneira em sustentabilidade, fundada em 1969, uma empresa de cosméticos movida pela promoção do bem-estar e das relações humanas como forma de expressão de vida.

Seus produtos e ideologia não seguiam as tendências do mercado na época, pois os princípios ativos de origem natural usados em seus produtos e o conceito de sustentabilidade não estavam em pauta e eram desconhecidos. Para se promover a instituição adotou o sistema de vendas diretas, nascia à consultoria Natura, que hoje representa mais de um milhão de consultoras no Brasil.

A marca foi se fortalecendo com o passar dos anos, sem abrir mão de sua ideologia, de produtos e embalagens saudáveis e envolvimento com o meio ambiente. A sustentabilidade entrou em cena no mercado financeiro e hoje a Natura é uma marca sólida, sinônimo de cosméticos no mercado nacional.

Segundo o relatório anual da consultoria de marcas britânica, Interbrand, a Natura ocupa a sexta posição de marcas mais valiosas do Brasil, com o valor de 7,308 bilhões de reais em 2012.

Mas uma marca que vem sendo referência de politicamente correta é a norte-americana Timberland, que em 1952 deixou de ser uma fabricante de sapatos e foi transformada em uma marca de esportes de aventura por Nathan Swartz.

Sua filosofia é aplicada por toda companhia, o CEO Jeffrey Swartz prega o bem estar com o meio ambiente, a comunidade e as pessoas. A empresa tem investido milhões de dólares americanos na redução da emissão de carbono e para minimizar o impacto ambiental, usa da energia eólica e outras fontes renováveis para abastecer seus centros de distribuições.

A instituição também adota uma séria consciência social, a empresa garante que seus produtos são produzidos de modo ético, eles têm um rígido código de conduta para garantir locais de trabalho seguros, limpos e não discriminatórios para seus 175 mil funcionários espalhados por 290 fábricas em 35 países.

A empresa apoia o trabalho voluntário, um período que seus funcionários estariam nos escritórios ou linha de produção, eles estão realizando serviços comunitários ou em prol da natureza.

Seus produtos são pensados para combinar estética e impacto mínimo, além de ser a marca pioneira em comunicações transparentes. Em 2006 a companhia colocou selos contendo informações sobre o meio ambiente em 30 milhões de caixas de sapato.

Figura 3 – Camiseta da Timberland feita com 100% de algodão orgânico

2

Com sua ideologia, a Timberland em 2009 somou 1,3 bilhões de dólares americanos em vendas e tem como status líder ambiental no segmento de calçados e materiais esportivos.

É claro que nenhuma empresa pode ser considerada 100% sustentável – e essas empresas têm seus entraves ecológicos também -, mas acredito que o progresso feito por elas pode representar um modelo para as outras que seguem seus passos.Jacquelyn A. Ottman, As novas regras do marketing verde.

 

Compartilhe!
error0

image013 (3)Na segunda-feira, 11 de novembro, a multinacional sul-coreana lançou seu novo posicionamento global, “A Samsung lança não apenas produtos, lança produtos que lançam pessoas”, inspirada nas pessoas e seus talentos, a líder global em eletrônicos de consumo e componentes apresentou o projeto Samsung Launching People (Samsung Revelando Pessoas). O “Launching People” já foi implementado em países como a França, agora chega com tudo no Brasil.

A ação tem como objetivo fazer com que as pessoas compartilhem suas ideias inovadoras que utilizem a tecnologia nos territórios da Arte/Entretenimento, Empreendedorismo ou Futebol. Basta se inscrever na página do Facebook da Samsung (https://www.facebook.com/SamsungBrasil) e mandar seus projetos até o dia 29 de novembro de 2013.

Além disso, a marca conta com o apoio de um mentor para cada território: Paulinho Moska para arte e entretenimento, Marco Gomes para empreendedorismo e Paulo Henrique Ganso para futebol. Os famosos irão ajudar na seleção dos projetos inscritos.

Serão selecionados 3 projetos, um para cada tema e os vencedores ganharão um kit de produtos da Samsung. Saiba mais em http://samsungrevelandotalentos.globo.com/.

Foto: André Penteado

Compartilhe!
error0

thomas-edison– Está no mercado desde 1892;

– É uma empresa norte-americana e tem Thomas Edison como um de seus fundadores. Ele foi um inventor, cientista e empresário, sua principal invenção foi a primeira lâmpada incandescente com filamento de carvão;

– Atua em diversos segmentos, desde turbinas de avião até oferta de crédito e está presente em 180 países.

ecomagination– Em 2005, por iniciativa de uma de suas vice-presidentes e apoiada pelo seu CEO Jeffrey Immelt, a organização criou a linha ECOMAGINATION, com o objetivo de transformar a redução dos impactos ambientais em estímulo para inovação dos negócios. O selo ECOMAGINATION já rendeu para a GE 10 bilhões de dólares americanos até o ano de 2012, além de ter reduzido a emissão de gases causadores do efeito estufa em 24% em 2010, em comparação ao ano de 2004 quando a empresa ainda não tinha lançado essa linha de produtos. A meta era de 1% até 2012 antes da criação desses produtos;

– Sustentabilidade é a nova filosofia da instituição, avaliada em US$ 46,947 bilhões pela consultoria britânica Interbrand e ocupa a sexta posição das marcas mais valiosas do planeta.

Compartilhe!
error0