Category

Artigos

Category

Com o aumento da expectativa de vida no Brasil, cresce de maneira rápida aos olhos do mercado publicitário o denominado ‘Silver Market’, que atende à faixa da população com mais de 60 anos.

Não é por menos. O número de adultos brasileiros com 65 anos de idade ou mais cresceu 26% entre 2012 e 2018, ao mesmo tempo em que a população de até 13 anos recuou  6%, mostram dados da pesquisa “Características Gerais dos Domicílios e dos Moradores 2018”, divulgada recentemente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo projeções do mesmo IBGE, no ano de 2050, a parcela de idosos será de 63 milhões de pessoas no país. Para termos de comparação, em 1980 havia 10 idosos para cada 100 jovens. Em 2050, serão 172 idosos para cada 100 jovens, já que a esperança de vida no Brasil cresce exponencialmente desde a década de 50.

Assim, ao ligarmos a TV, ao folhearmos revistas ou mesmo ao navegarmos pela internet, é comum vermos mais e mais propagandas com idosos como protagonistas. Um dos cases de marketing mais relevantes do setor nos últimos anos  é o crescimento assombroso da marca Prevent Senior, plano de saúde privado dirigido a mais velhos com preços menos exorbitantes do que os praticados por operadoras que há anos dominavam o mercado. A marca Prevent Senior, que em seus spots publicitários, batizou os idosos de ‘adultos +’, tem agora até quiosques nos shoppings mais badalados de São Paulo para atrair mais e mais consumidores.

Recentemente, também em São Paulo, aconteceu o ‘Fórum da Longevidade’, evento com palestrantes e expositores, permeado por ações estratégicas para que empresas dos mais variados setores apresentem diretamente ao público de idosos suas propostas em produtos e serviços para estimular e promover a longevidade saudável e ativa.

E para quem acha que ser ‘influencer’ é coisa de gente millenial, não é bem assim… O mercado de influenciadores sênior está começando, lentamente, a dominar as antes temidas ferramentas digitais para dar voz a canais de conteúdo. No exterior, celebrities como a fashion icon Iris Apfel, de 94 anos, e a acadêmica Lyn Slater, com 63, tornaram-se cases emblemáticos de instagrammers que quebram paradigmas de idade no mercado das redes sociais. No Brasil, a moda está começando a pegar e a consultoria de marketing de influência Squid, já identificou em sua base cerca de 65 micro-influenciadores com mais de 54 anos, enquanto a Hype 60+, especializada em longevidade, mapeou cerca de 50 influencers sênior no país.

Os empresários e startups também se aproximam do ‘silver market’ com sede de boas experiências e sucesso. De olho nas necessidades desta faixa etária mais velha, porém cheia de expectativa de vida, a publicitária Valéria Lazzarini, de 37 anos e seu irmão, o médico de família Dr. Mauricio Lazzarini, de 42, lançaram a plataforma CuidaSenior, que otimiza um contato inicial entre os cuidadores de idosos e seus contratantes.

O app, compatível com os sistemas operacionais IOS e Android, funciona intermediando a contratação de cuidadores, em plantões de 6h, 12h ou 24h para ambientes domiciliares ou hospitalares – sem a necessidade de um contrato longo mensal, como nas agências. Estes profissionais irão ajudar os idosos nas atividades básicas de um cotidiano de autocuidados como: alimentação, idas ao banheiro, vestir roupas, higiene pessoal, banho, apoio no andar e auxílios com cadeiras de rodas.

A Vitus Longevidade também chega ao mercado como uma novidade e tanto para os idosos brasileiros e suas famílias. Trata-se de um serviço pioneiro de concierge para a Terceira Idade com atendimento às necessidades básicas e especiais em domicílio. Através da Vitus, as famílias que não têm tempo e energia para cuidar de seus parentes mais velhos irão terceirizar este serviço por meio de um profissional que irá contratar desde enfermeiros, até cuidar das contas e lista de compras na residência desses idosos.

E não há dúvidas de que envelhecer será cada vez menos uma tarefa dura e cansativa, se depender da vontade dos cientistas. No exterior,  startups e pesquisadores acadêmicos vêm desenvolvendo parcerias arrojadas de olho na parcela da população mais idosa. A telemedicina caminha a passos adiantados e a tendência é que cada vez mais, pelo menos para assuntos menos graves, tudo seja resolvido por uma consulta à distância. Com um prontuário em mãos, o médico ajuda os pacientes a resolverem problemas de baixa complexidade.

Bengalas e andadores também podem, em breve, virar coisa do passado. Empresas estão trabalhando em trajes robóticos que podem aposentar de vez acessórios convencionais de locomoção dos idosos. Eles consistem em uma espécie de exoesqueleto que possibilita que os mais velhos, a partir de um pequeno impulso elétrico, possam se movimentar com facilidade.

Doenças debilitantes como o Mal de Parkinson, por exemplo, também vêm contando com uma mãozinha do mercado silver para que seus impactos sejam atenuados. Já existem lá fora soluções tech para lidar com os tremores que causam diversos incômodos aos acometidos pela doença, inclusive na hora de comer. Um dos talheres é o norte americano Lyftware e o outro é o chinês Gyenno, que custam cerca de US$ 200.

Até o gigante Google também quer dar uma força para toda uma população idosa que sofre com a diabetes. Por isso, trabalha com uma patente que promete medir a glicose através de lentes de contato. Em vez do sangue, estas lentes analisariam a lágrima do doente e enviariam o resultado do nível de glicose para um smartphone.


Por Vanessa Kopersz Ming, 45 anos, jornalista e publicitária, CEO da assessoria de imprensa TYPE.

Imagem de destaque: Daniele Levis Pelusi

Compartilhe!
error0

Executivos da Troiano Branding lançam novo livro com teoria, metodologia e cases sobre Propósito e seu impacto para pessoas, marcas e organizações no século 21.

Qual é o seu propósito? Esta é a pergunta que dá título ao novo livro de Cecília Russo Troiano e Jaime Troiano, cujo lançamento aconteceu na última segunda-feira, 14 de outubro, em São Paulo, reunindo profissionais de branding e empresários para um coquetel com palestra e sessão de autógrafos.

Nossa equipe ao receber o autógrafo dos autores Cecília Russo Troiano e Jaime Troiano.

Cecília e Jaime são sócios da Troiano Branding, uma das empresas pioneiras em gestão de marcas no Brasil, com mais de 26 anos de história e expertise no acompanhamento de negócios de diversos segmentos.

Foi deste know-how que nasceu a proposta do livro. Segundo Jaime Troiano, que abriu as falas da noite, havia a necessidade de “colocar a bola no chão” e discutir sobre o impacto do propósito na existência das marcas uma vez que, nos últimos tempos, muitos conceitos surgiram para abordar o assunto, por vezes banalizado.

Para Jaime, o propósito é a mãe de todas as ferramentas de branding e, sendo assim, é a partir dele que se desdobram e se sustentam todas as iniciativas e definições estratégicas.

Contextualizando este momento que enfatiza a importância do propósito, abordaram o conceito de Realidade Líquida de Zygmunt Bauman, sociólogo e psicólogo polonês, segundo o qual as transformações e relações acontecem de maneira rápida e imprevisível.

Sendo assim, a busca pelo sentido se torna central e o propósito mostra-se como a chave para aproximar a todos do que é permanente, duradouro e consistente.

Ao assumir a fala, Cecília completou dizendo que o envolvimento com o propósito surgiu gradualmente, na medida em que desenvolviam os projetos da Troiano Branding, especialmente depois da parceria com o Bright House, consultoria de Atlanta/EUA, para a construção da marca Havaianas.

Segundo ela, foram percebendo a necessidade de guiar a abordagem por um conceito central, capaz de sustentar todas as ações e, assim, dissemina-las de forma legítima.

Afinal, “uma marca sem propósito é uma marca sem alma”, referência que Cecília fez a uma fala constante de Jaime Troiano.

Quer saber mais sobre propósito de marca? Acesse aqui!

Nesta jornada, inquietação e um viés de psicologia os guiaram ao entendimento de que, na verdade, o propósito deve ser escavado, identificado e trabalhado a partir de uma soma de fatores como a motivação empreendedora da marca, a relação entre as pessoas e o impacto da marca na sociedade.

Como resultado, nasce a metodologia “Rota do Soul”, que ajuda organizações a identificar, lapidar e potencializar seu propósito por meio de uma analogia que reúne, de forma poderosa, conceitos de ALMA e SOL, valorizando o SER que confere a autenticidade necessária para se conquistar e sustentar a relevância e a IRRADIAÇÃO que, por sua vez, permite que as ideias cheguem mais longe e causem um impacto maior e mais profundo nas relações que envolvam a marca.

Cecília Russo Troiano apresentando a metodologia “A Rota do Soul”

Desta forma, o livro “Qual é o seu Propósito: A energia que movimenta pessoas, marcas e organizações no século 21” se sustenta sobre dois pilares: o teórico, reflexo de tudo o que foi apresentado nos últimos parágrafos e o vivencial, retratado por meio de cases de marcas que passaram pela transformação do propósito com o acompanhamento da Troiano Branding.

Durante o bate papo de lançamento foram convidados para o debate Fernanda Abdo Saad, da Aegea – marca de saneamento; Leninha Palma, da Caedu – marca do segmento de moda e confecções e Rafael Navarro, da Sintel – marca de Suport Chain Automotivo.

Moderados por Robson Viturino, editor do livro, os convidados compartilharam o impacto do branding e do propósito em seus negócios, reforçando a importância da iniciativa de Cecília e Jaime Troiano de lançar um livro sobre o conceito.

O livro traz uma linguagem leve para apresentar conceitos importantes, relacionando-os sempre à sua implementação prática, destacando o processo necessário para a consolidação do propósito na estratégia de uma marca. Seu projeto gráfico, repleto de ilustrações, confere graça e leveza ao livro, tornando a experiência de leitura ainda mais prazerosa.

Garanta seu exemplar!

Além de todos os motivos acima elencados para incentivar sua leitura, o valor arrecadado com os direitos do livro serão doados para a Junior Achievement Brasil, organização social que incentiva e estimula jovens para o mercado de trabalho através do método “Aprender-fazendo”. Saiba mais aqui.

Confira 5 passos para praticar o propósito da sua marca clicando aqui!

Compartilhe!
error0

O Instagram é uma rede social para compartilhar fotos e vídeos entre usuários e que permite o compartilhamento em outras mídias sociais.

Essa rede social é cada vez mais popular no mundo. De acordo com pesquisa da Hootsuite e We Are Social, o Instagram tem 1 bilhão de usuários e destes, 66 milhões são brasileiros.

Devido ao grande número de usuários, as empresas estão cada vez mais interessadas na rede, tanto que o Instagram tem mais 2 milhões de anunciantes.

Além das vendas, o Instagram também ajuda a fortalecer o Branding da empresa por meio da divulgação e da interação com os seguidores.

Mas para ter sucesso nessa estratégia é preciso que o seu perfil na rede social seja atraente para o público e nós preparamos dicas matadoras para sua marca se destacar no Instagram.

Por que investir em Branding?

Branding é a estratégia de gestão e reconhecimento da marca no mercado por vários fatores.

Isso porque a mudança no comportamento do mercado é cada vez constante. No passado, as empresas se preocupavam em produzir e distribuir os produtos aos clientes com pouca variação.

Com o tempo, o foco tornou-se a gestão direcionada ao marketing, que permitia maior variedade dos produtos, porém, com a grande concorrência, as empresas não tinham um diferencial.

E para mudar essa situação, muitas empresas focaram no branding, investindo na comunicação, entrega e no relacionamento com o cliente para mostrar uma personalidade institucional.

Branding ajuda a empresa a ficar atrativa, pois ela expressa os seus valores diferenciais ao público, tornando-se mais querida pelos consumidores e até para captar novos talentos.

Essa estratégia também é fundamental para se diferenciar da concorrência. A razão disso é a conexão que a marca tem com o público, gerando reconhecimento imediato por meio da comunicação.

Por se tratar de uma rede social, o Instagram possibilita melhorar o branding das empresas pela facilidade em interagir diretamente com os seguidores.

Isso é importante principalmente para as pequenas empresas, que não tem tantos recursos financeiros para investir em marketing e precisa se diferenciar para aumentar as vendas.

Como melhorar o branding pelo Instagram

O primeiro passo para crescer no Instagram é sempre se manter presente. Monte um cronograma de publicações e veja a periodicidade correta antes de postar algo.

Escolher a periodicidade é fundamental para atrair e manter os seguidores engajados, pois sua empresa consegue passar a mensagem para o público e horário certos.

Além da periodicidade, outros elementos são fundamentais para alavancar o branding, como:

Monte um perfil no Instagram

Uma biografia bem feita da empresa no Instagram é muito importante, pois ela é o cartão de visitas para o seu público.

Portanto, coloque informações sobre a sua empresa, a missão, valores da empresa e dados pessoais como o seu nome, com intuito de ficar mais próximo.

Inclua também hashtags relacionadas ao seu mercado para facilitar o posicionamento da empresa na rede e deixe o link da empresa no perfil, redirecionando futuras vendas na rede social.

Produza conteúdo de alto valor

Após criar a biografia, o próximo passo é produzir conteúdo para atrair seguidores e possivelmente um futuro lead (potencial cliente) para a empresa.

O primeiro passo é definir como a companhia pode gerar valor para os seus seguidores. É importante se conectar com essas pessoas e oferecer algo que seja de alto valor para elas.

Como exemplo de conteúdo, informe o seu público com posts sobre os assuntos tratados da sua empresa, e crie conteúdos de motivação que aumentam o interesse do público pelo seu perfil.

Conte histórias no feed

Uma forma de conquistar o público e mantê-los engajados é postando imagens com legendas de histórias inspiradoras.

Fotos com histórias auxiliam no engajamento do público, pois o conteúdo produzido será proveitoso para o público, com intuito de ser uma autoridade no assunto.

Pense em conteúdos que sejam valorosos para seus seguidores, pois isso será decisivo para manter a empresa mais conectada com o público, tornando uma referência para o público, podendo resultar em vendas no futuro.

Invista no fortalecimento da sua marca

O branding é uma estratégia de gestão da empresa enquanto uma marca, com objetivo de ser uma referência para os seus clientes na hora de comprar determinado produto.

Essa estratégia auxilia a empresa a ser uma autoridade no mercado, sendo um ponto chave para a empresa alavancar as suas vendas.

E para a empresa encontrar meios de como vender mais que a concorrência, o branding é fundamental, pois a missão e valores bem construídos da empresa passam a ser mais atraentes que o próprio produto em si.

Portanto, essa é uma oportunidade para as pequenas empresas conseguirem destaque em um mercado altamente concorrido, facilitando o trabalho da equipe de vendas na hora de fechar o negócio.


Mateus Portela: Assessor de Imprensa do Marketing para Indústria

Compartilhe!
error0

Finalizando nossa série de conteúdos sobre Relações Públicas, reunimos os insights finais de nosso bate-papo com Lucas Lima da Midiaria.com.

Destacamos questões como informações que a marca precisa compartilhar com o profissional de RP, características deste profissional, os principais pontos da estratégia e, uma questão que levanta muitas dúvidas, como o pequeno negócio pode se preparar para a implementação de uma estratégia de Relações Públicas, reunindo, desde seu início, informações que constroem sua história. 

Esperamos que goste dos vídeos e aproveite o conteúdo para sua estratégia de RP!

6. O que a marca precisa compartilhar com o profissional de PR para garantir um bom resultado em sua comunicação?

7. Quais são os pontos principais de uma estratégia de PR?

8. Quais são as características de um bom PR?

9. Como a empresa pode preparar o terreno para a implementação do Relações Públicas?

Se você perdeu as postagens anteriores, acesse os links abaixo:

Parte 1

Parte 2

Parte 3

Lucas Lima: Cofundador é líder de projetos em branding na Midiaria.com. Comunicólogo de mercado pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista em Comunicação Organizacional pela Faculdade de Comunicação Cásper Líbero e Master em Gestão de Marcas e Branding pela Business School São Paulo. Experiência nas áreas de Relações Públicas, Branding, Gestão da Imagem e Reputação.

Compartilhe!
error0

Imagem: Ben Sweet/Unsplash

Todo empresário e gestor empresarial sonha e almeja saber exatamente o que os consumidores esperam de sua marca. Com as facilidades geradas pela tecnologia e o aumento do acesso à informação, o consumidor passou a ser mais exigente e bem informados sobre as ofertas, produtos e organizações. Este consumidor do século XXI também é conhecido como consumidor 4.0.

O consumidor 4.0 quer proximidade. Ele quer fazer parte da marca e ser compreendido. Não apenas consumir um produto, mas sim, vivenciar e se sentir abraçado por ele. Os consumidores não querem mais apenas ter relações comerciais, mas, também, encontrar uma espécie de “braço amigo” nas marcas.

Para que as marcas consigam atender as expectativas dos consumidores, o caminho é árduo e merece atenção dos empresários. Quanto mais a empresa divulgar o seu real DNA e o propósito, mais os consumidores vão se conectar naturalmente. Assim, é possível alcançar o seu real público, aquele que tem a mesma essência da marca, que busca o mesmo sentido. Quando a empresa consegue se conectar deste maneira com seus consumidores, as expectativas tornam-se realidade, e passamos a ter advogados de marca. Ou seja, mais do que consumidores, eles compram e defendem aquilo em que acreditam em todos os lugares. Por exemplo, muitos consumidores dizem preferir marcas que lutam por causas sociais relevantes na sociedade atual. Este fato foi comprovada pela pesquisa realizada pelo Ipsos Global Reputation Center, que apontou que cerca de 82% dos consumidores preferem marcas que invistam e contribuam para um mundo melhor.

Hoje em dia, é comum ver marcas querendo agradar os consumidores, com produtos e serviços totalmente inovadores. Mas, muitas vezes, a inovação está ligada a valores simples, como pensar no bem-estar e conforto dos seus consumidores e em maneiras de facilitar a vida dos clientes. Não necessariamente deve abranger só a tecnologia avançada para compra. Isso também é importante, mas deve-se pensar como cliente e se colocar no lugar dele, isso é o que fará a diferença daqui pra frente.

Para finalizar, acredito que a empatia é a peça chave para um relacionamento de sucesso, porém, não é do dia para a noite, isso se constrói com o tempo.


Maka Werner: empresário e consultor de gestão de marcas e gerenciamento de projetos de marketing e design, e facilitador na metodologia Lego® Serious Play® no Brasil.

Compartilhe!
error0

Em um momento em que empoderamento, respeito pelo outro e liberdade estão cada vez mais em pauta, a trajetória das pessoas precisa ser valorizada. Partindo dessa premissa, a Rainha anuncia seu posicionamento no mercado com a campanha “Sua trajetória merece respeito”.

A ação acompanha o lançamento da nova coleção de calçados da marca de moda esportiva, que se destacou nos anos 80 e 90 para milhares de brasileiros produzindo calçados icônicos, como o VL2500 e o Rainha System.

A Rainha quer ser vista como aquela que quer ouvir as histórias das pessoas, caminhar ao lado delas e ajudá-las a atingir seus objetivos, aproximando-se do público jovem, e compartilhando valores como respeito, autenticidade, diversidade e empoderamento.

A campanha contempla um investimento representativo para aumentar a presença da marca e promover ações com digital influencers que tenham conexão com as atitudes valorizadas pela Rainha. Além disso, serão realizadas ações de merchandising na TV, em programas como o Domingo Legal, no SBT; e investimentos de mídia no GoogleYouTube e Mídias Sociais (Facebook Instagram), onde usará a tag #respeitaatrajetória.

“A Rainha faz parte da vida do brasileiro, que usa seus produtos há décadas. A nova campanha mostra que, embora seja uma marca muito tradicional e reconhecida, a Rainha está também conectada aos valores dos jovens atuais, sem perder o compromisso de investir em tecnologia e inovação para entregar produtos cada vez melhores para os nossos clientes”, afirma Victor Lange, gerente geral da Rainha.

Veja só o novo vídeo manifesto da marca, que será veiculado nas redes sociais da marca e em programas de TV. “O intuito do filme é que consigamos transmitir a mensagem chave da nova identidade da Rainha, em um formato de grande aceitação por parte do nosso público-alvo”, completa Lange.

Compartilhe!
error0

O Storytelling, ou a “arte de contar estórias”, tem o poder de envolver o público e transportá-lo para o universo da marca. E foi isso que o Itaú fez em comemoração à Semana da Mobilidade 2019 (16 a 23 de setembro) reforçando, ainda, a imagem das famosas bikes laranjas que tanto vemos pela cidade:

O Itaú lançou nesta semana a série “Diários de Bicicleta” a fim de conscientizar e incentivar a mobilidade urbana por meio de histórias reais.

Composta por quatro histórias de pessoas que, ao começarem a andar de bike – sejam particulares ou compartilhadas – mudaram seu estilo de vida e transformaram radicalmente sua percepção sobre a cidade.  

Criada pela Africa, a série dá luz às histórias reais de pessoas que viram na bike uma maneira de melhorar seu dia-a-dia. E para chamar o público junto a essa jornada, Willian Cruz, criador do Vá de Bike e ciclista influenciador, e Renata Falzoni,  fotógrafa, videor repórter, bike-repórter e cicloativista – dois nomes peso no mundo ciclista – foram convidados pelo Itaú para acompanhar e conhecer a história de quatro ciclistas que moram e trabalham em grandes centros urbanos como Rio de Janeiro e São Paulo.

Marcelo, Jefferson, Mariana e Aline, convidados para serem fontes de inspiração das peças, contaram sobre algumas das transformações que aconteceram em suas vidas depois que adotaram as bicicletas. Entre elas estão desviar do trânsito e chegar aos lugares muito mais rápido, se relacionar de uma maneira muito mais prazerosa com a cidade e o caminho, usá-la como uma ferramenta de trabalho com poucos custos e impacto ambiental, além de serem um carro a menos na rua, desafogando o trânsito e diminuindo a poluição.

“Buscamos gerar inspiração e motivação para as pessoas, fazendo com que elas se identifiquem com as histórias contatadas pelo William e pela Renata e vejam como adotar a bicicleta dentro do contexto de mobilidade urbana pode não só mudar hábitos, mas também vidas. Acreditamos que as bikes têm um papel muito importante no desenvolvimento da sociedade, e também atua muito forte na transformação pessoal de cada um”, diz Juliana Cury, superintendente de Marketing Institucional do Itaú Unibanco.

Seguindo o posicionamento “Bike Itaú. O melhor caminho para qualquer caminho”, a série aproveita o momento para mostrar a bike como ferramenta para uma vida mais sustentável, explorando seu poder de transformar a vida das pessoas.

Compartilhe!
error0

Dando continuidade a nossa conversa sobre relações públicas com Lucas Lima da Midiria.com abordamos a relação entre o PR e as redes sociais.

5. Como é a relação do PR com as redes sociais?

No próximo vídeo abordaremos questões relativas a contratação e integração do PR na realidade dos negócios. Como contratar? Quais as características d e um bom PR? E como preparar o terreno para integrar a estratégia de relações públicas? Acompanhe!

Lucas Lima: Cofundador é líder de projetos em branding na Midiaria.com. Comunicólogo de mercado pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista em Comunicação Organizacional pela Faculdade de Comunicação Cásper Líbero e Master em Gestão de Marcas e Branding pela Business School São Paulo. Experiência nas áreas de Relações Públicas, Branding, Gestão da Imagem e Reputação.

Compartilhe!
error0

Estratégias para PMEs em meio ao recuo da economia

Curvas de juros, baixas consideráveis nos índices e incertezas caracterizaram o cenário econômico e contribuíram para onda de nervosismo que amedronta o mercado global. Dados negativos sobre o desempenho da Alemanha, maior economia da Europa, e da China, segunda maior do planeta, são responsáveis pelo medo de uma possível recessão mundial, a situação do ‘Brexit’ também é um fator relevante. Em meio ao cenário caótico, o Brasil também apresentou dados preocupantes, o dólar superou a marca dos R$ 4 e o real teve um dos cinco piores desempenhos em uma lista de 33 divisas globais.

Segundo Thiago La Torre, consultor de marketing com foco em consultoria e posicionamento estratégico para empresas, a nuvem cinza do mercado tem efeito direto sobre as pequenas e médias empresas (PMEs) que, segundo ele, costumam aplicar estratégias precipitadas. “Em relação ao marketing, em momentos de contração as empresas tendem a adotar duas estratégias distintas: cortar custos de exposição ou intensificar ações promocionais que visam “aumentar” as vendas. Ambas estratégias estão erradas”, conta o especialista.

“Cortar custos, mesmo sendo necessário em momentos de recessão, se feito em demasia, pode desnutrir a empresa. Intensificar as ações promocionais, não adianta de nada se o consumidor não está disposto a consumir”. Segundo Thiago, as ações promocionais se intensificaram no último ano, o que não está de acordo com o perfil das novas gerações, “As novas gerações são mais imunes a propaganda e as marcas ainda não sabem lidar com isto”. Millenials e Geração Z juntos representam aproximadamente 63% da população global, com base na análise da Bloomberg dos dados das Nações Unidas.

O consumo é a principal variável do PIB, e é esse o foco. Segundo a MB Associados, estima-se que a desaceleração da economia global pode tirar 0,1 a 0,2 ponto percentual do Produto Interno Bruto neste ano. Contudo, a recessão não tem caráter onipresente, alguns nichos sempre se mantém nos interesses de consumo e é nisso que Thiago La Torre aposta. “Ao contrário do que o público possa imaginar, não são somente as categorias básicas de sobrevivência que se mantém. As marcas devem estar atentas às tendências de consumo, e diferenciar seus produtos e serviços para atender estas demandas melhor do que a concorrência”, afirma o consultor.

Investindo na contramão do mercado

Reposicionamento e Rebranding

O consultor conta sobre um caso de um cliente: “Em 2016, na cidade de Campinas, o consumo por serviços de massagem em spas urbanos estava caindo bastante. No período trabalhei com o Azahar Spa. Enquanto os principais concorrentes investiam num discurso de vendas agressivo com descontos e pacotes, no Azahar, junto com as gestoras, optamos por realizar um reposicionamento e rebranding, focando no público mais exigente e centralizando nos produtos carro chefe. Logo após a reestruturação do discurso de vendas, passamos 12 meses investindo em publicidade online para atingir o público primário. O Azahar que já tinha sido eleito o melhor spa de Campinas, sabiamente foi contra intuitivo e investiu no momento de crise em uma imagem sólida. No primeiro ano o faturamento aumentou em 73%.”

Através de um retrato dos últimos 10 anos por Big Data é possível notar uma predileção por um estilo mais caseiro e focado no sensorial: comida, bebida, esportes e lazer passaram a ganhar destaque no interesse do público nos últimos anos. Apesar do tempo em que as pessoas ficam online aumentar a cada ano, isso já dá sinais de reversão, entre os interesses em baixa estão os computadores e eletrônicos, comunidades online e jogos. O único ponto fora da curva neste sentido é o aumento de interesse em notícias que pode ser explicado pela conjuntura política atual.

Compartilhe!
error0

Não é nenhuma novidade dizer que vivemos em um mundo em constante mudança. Sabemos que a tecnologia e a conectividade mudaram para sempre as relações humanas impactando tanto os aspectos pessoais quanto profissionais.

Neste cenário, o desafio é reinventar-se constantemente, questionando sempre qual mindset deve ser adotado.

Mindset quando o assunto é Employer Branding?

Sim! MINDSET, e vamos dizer o por quê.

Mindset nada mais é do que um prisma que determina a maneira como percebemos o mundo ao nosso redor e como agimos neste ambiente, justificando a forma como reagimos, respondemos e, consequentemente, colhemos resultados.

As empresas, representadas e percebidas por suas marcas, perceberam que, se antes apenas escolhiam seus funcionários, hoje também são escolhidas pelos profissionais.

O quesito salarial tornou-se apenas um dos fatores analisados, muitas vezes não sendo o decisivo. As pessoas avaliam o propósito, reputação da marca e seus valorescompartilhados para obter retorno financeiro e, além disso, emocional.

Desta forma, os profissionais de RH, responsáveis por selecionar, validar e acompanhar todo o processo de recrutamento, tornam-se ainda fundamentais para transmitir claramente o propósito, a essência da cultura organizacional, a proposta de valor da marca empregadora e trazer para o time pessoas alinhadas aos objetivos da empresa. Ou seja, compreender e aplicar esse mindset torna-se essencial na prática do Employer Branding.

Employer Branding é a parte da estratégia de gestão de marca focada no colaborador: a estratégia da marca em disseminar e consolidar seus valores e diferenciais com foco em atrair, engajar e reter profissionais para se tornarem colaboradores da organização, sustentando a relação com base em valores compartilhados entre as partes.

O elo marca-colaborador, quando bem estabelecido, cria um vínculo mais duradouro e corrobora com o engajamento orgânico dos profissionais, resultando em mais produtividade, qualidade, dedicação e, sobretudo, na propensão dos profissionais disseminarem suas experiências no mercado ao se sentirem corresponsáveis pelo sucesso da marca que representam.

O que devo considerar para estabelecer um projeto de Employer Branding?

  • Propósito e valores da empresa
  • Objetivo e metas claras
  • Foco: o foco do Employer Branding é criar reputação para a marca empregadora para atrair e reter colaboradores. Todas as suas ações devem ser orientadas a este objetivo
  • Plano de cargos e salários para que os colaboradores tenham perspectivas dentro da organização. Transparência neste quesito influencia diretamente a satisfação a médio e longo prazo.
  • Planejamento das ações internas e externas considerando prazos, investimentos, equipe, KPIs
  • Comunicação e Brand Experience

O vestir a camisa tornou-se essencial. De um fator orgânico e agregador para necessário e estratégico no Branding.

Compartilhe!
error0