Todos os anos nosso calendário está repleto de datas comemorativas, cada uma com o seu significado, os quais começamos a entender ainda quando crianças, com a família e na escola, onde fazemos pequenos trabalhos artesanais para celebrar e levar para as nossas casas. Entre essas datas destacam-se o Natal, a Páscoa, o dia das Mães, o Dia dos Pais e, no mês de Junho, o dia dos Namorados!

Mas além de serem datas que comemoramos ao lado das pessoas que amamos e que, de alguma forma fazem parte de nossas vidas, elas  tem em comum o grande apelo comercial que geram no mercado.

No caso do dia dos namorados, que no Brasil é comemorado no dia 12 de Junho, esse apelo comercial está vinculado à sua própria origem. Diferente do Valentine´s Day, celebrado dia 14 de Fevereiro nos EUA e na Europa em homenagem à São Valentim, que casava namorados que tinham seu relacionamento desaprovado para que eles pudessem ter a benção de Deus, o dia 12 de Junho foi escolhido por comerciantes Paulistas pela proximidade do dia de Santo Antônio (13 de Junho), o Santo Casamenteiro; sendo celebrado pela primeira vez em 1953.

E a data pegou. Todos os anos o mercado se aquece e pombinhos de todo o país ficam loucos atrás do presente perfeito, que demonstre com precisão aquilo que sentem pelo parceiro.

E é daí que surgiu a motivação para este arquivo. Observando essa dinâmica percebi que o branding não está presente apenas do lado das marcas, que atuam conforme seu planejamento e estratégia (ou pelo menos deveriam); seus conceitos também são adotados, mesmo que de maneira inconsciente, pelas pessoas que buscam presentear seus parceiros nesse dia tão especial.

Quando se fala em marcas se fala em relações e relações se sustentam em valores compartilhados. Tal compartilhamento de valores é um dos pilares da escolha do presente do dia dos namorados.

A pessoa não comprará o presente de uma marca cujo propósito e ações não estejam alinhados com seus valores pessoais, isso porque são esses valores que transparecem no seu comportamento e formam sua personalidade, algo importante em um relacionamento.

E essa dinâmica não é novidade, as marcas enfrentam esse processo de escolha em todos os momentos. Daí a importância de uma boa estratégia de branding.

Mas além de considerar valores compartilhados a pessoa que compra o presente busca que a marca agregue valor à sua marca pessoal. Parece um pouco de exagero de alguém que lê várias coisas sobre branding, mas não é. Isso acontece de forma inconsciente. Afinal, existe uma associação entre a imagem da marca e a imagem da pessoa que a compra.

Imagine-se escolhendo um presente para o seu namorado ou namorada, quando você for escolher esse presente, além de presentear você não vai querer impressionar? Nesse sentido não vai buscar uma marca que não se diferencie e que não tenha destaque no imaginário do seu par. Não. Ao invés disso vai escolher aquela que represente melhor suas intenções e que esteja alinhada com a percepção de seu parceiro(a) e é claro, com a percepção que você deseja que ele tenha de você.

É interessante observar também que essa relação não é generalizada ou excludente, pois cada um tem uma forma de perceber a sociedade, cada um tem o grupo ao qual pertence e sua própria percepção de mundo. Logo, do mais rico ao mais pobre, uma marca vai ser admirada e considerada interessante, pois, além do dinheiro a dinâmica de percepção de valores e escolha depende de vários outros detalhes, do ambiente sociocultural à criação recebida na infância.

Relacionar o dia dos namorados foi uma maneira que encontrei de mostrar essas observações, não como certezas, pois não as tenho, mas como maneiras de relacionar a realidade do dia-a-dia aos conceitos de branding, que estudo com paixão. Não tenho pretensão nenhuma de diminuir o aspecto sentimental da data.

Vejo nesse tipo de comparação uma oportunidade de esclarecer os conceitos de branding para aqueles que podem utilizá-los para desenvolver seus negócios e construir seus sonhos. Fazendo com que práticas melhores sejam implementadas e consequentemente que o mercado se desenvolva.

Perceber o cenário como um todo é essencial para o profissional moderno, especialmente para profissionais de branding, que lidam com diferentes frentes com um mesmo objetivo. O exemplo do dia dos namorados é apenas um, e esse artigo cumprirá seu objetivo se depois dele várias correlações sejam feitas.

Feliz dia dos Namorados!

Fonte: http://www2.uol.com.br/vyaestelar/dia_dos_namorados.htm

 

Author

Cofundador e Gestor Executivo de Branding e Design no InfoBranding Profissional de Branding e Design com foco na construção e gestão de marcas. Possui experiência na criação de marcas e identidades visuais para micro e pequenas empresas, eventos bem como em variados projetos editoriais. Autor de diversos artigos sobre branding, design, propósito e estratégia de marca, para o Portal InfoBranding e congressos. Atua como gerente de desenvolvimento em uma editora científica focada em projetos para a indústria farmacêutica. Possui MBA em Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas – FGV, Pós-graduação em Branding/Gestão de Marcas pela Business School São Paulo-BSP e Bacharelado em Design com Habilitação em Comunicação Visual pelo Centro Universitário Senac.

Write A Comment