estrategias-facebook2Esta é a segunda parte do artigo sobre Estratégias de marcas para ser utilizadas no Facebook. Se você perdeu a parte 1, clique aqui.

No artigo anterior, mostrei como o número de fãs é, sim, um número importante, mas que o foco principal é buscar o engajamento dos fãs. Para aqueles que não sabem, engajamento é um termo abrasileirado de Engagement, ou noivado, em tradução literal, que se refere a quanto seus consumidores estão fidelizados ou quanto eles interagem com a marca. No Facebook, isso é traduzido através da quantidade de likes, shares, comentários, plays em vídeos, ampliações de fotos, cliques em links e qualquer outra ação que aconteça em um post. A seguir, algumas dicas de como aperfeiçoar e trazer mais resultados.

 

 

– Engajamento

Não existe nenhuma fórmula que seja 100% efetiva na comunicação pelo Facebook. No entanto, há alguns direcionamentos que são bem conhecidos e ajudam a marca a ter bons resultados. São eles:

  • Sempre que possível, utilize imagens nos posts – que representem o assunto do conteúdo publicado;
  • Seja sucinto: Nada de textos muito grandes, as pessoas não vão ler. Além disso, depois de alguns caracteres, o Facebook trunca sua mensagem, tornando necessário clicar no “veja mais” para continuar a leitura;
  • Sempre que necessário, utilize links reduzidos. Links grandes poluem a leitura e tiram espaço do que realmente importa.
  • Se preferir deixar a imagem do link em vez de subir uma nova, não esqueça de remover o link depois de o Facebook gerar o preview. Isso vai deixar o post mais limpo. Você também consegue editar o título e a descrição do conteúdo do link. Caso necessário, faça isso;
  • Evite enquetes, a não ser que seja extremamente necessário.

Essas questões são básicas e devem estar sempre em mente ao desenvolver o conteúdo que irá ao ar. Agora, as questões que tangem à marca:

 

– Seja fiel à sua marca

Toda marca tem ou deveria ter personalidade própria. Existe uma imagem, conceito e posicionamento que são passados aos consumidores. No Facebook, deve-se ser fiel a isso. A não ser que esteja sendo feito um trabalho de reposicionamento, não devem ser esquecidas todas as características que a marca possui. Inspire-se em outras páginas, mas lembre-se de ter personalidade própria. Caso contrário, pode-se atrair para a página consumidores que não estão interessados na marca, ou que não são seu público-alvo. Para marcas premium isso pode ser um problema.

 

– Use Personas

Toda marca tem uma voz que a identifica e dá o tom de toda sua comunicação. No Facebook, está a melhor chance para aplicar esta entonação. A melhor forma de fazer isso é criando um persona, ou seja, criar um personagem que irá se utilizar da voz da marca. Para isso, é necessário um breve estudo.

Primeiro, é preciso saber a forma como a marca deve soar. Você quer que sua marca seja bem-humorada? Ou um humor mais ácido? Quer que seja séria? Mais voltada para mulheres? Para homens? Entenda com quem se comunicar e veja a forma com que eles se expressam.

Depois, pense numa celebridade (ou mesmo em outra marca) que possa ter um tom que encaixe com o persona que você está criando. Veja a forma como a pessoa posta, suas frases, o tom que coloca na comunicação. Alguns exemplos:

posts

Pesquise e veja o que mais se encaixa na sua persona e entenda a forma de falar. Passe a utilizar na comunicação.

 

– Fuja de posts de Engajamento Vazio

Engajamento vazio é o tipo de post em que a pessoa somente curte por achar a imagem ou mensagem bonitinha mas, normalmente, não quer dizer nada. Você já deve ter visto marcas que publicam “bom dia” todos os dias. Isso é engajamento vazio. Não está dizendo nada relevante sobre sua marca. Ou pior.

post2

O Restaurante Web é uma marca que te permite fazer pedidos delivery de comida pela internet. Mas seu perfil no Facebook sempre tem pérolas de engajamento vazio como este post ao lado. É mais provável que as pessoas curtam e comentem no post por causa da imagem do cachorro do que por causa de algo relacionado com a marca. Este tipo de publicação, além de não acrescentar nada para o consumidor, é potencialmente prejudicial para a marca.

 

– Não fale apenas da marca/não tente apenas vender

O Facebook é um lugar onde pode-se mostrar, além do que a marca faz, no que ela acredita. Desde que se relacione com a marca de alguma forma, faça isso. Por exemplo, se você tem uma marca de cerveja artesanal, é interessante para os seus consumidores que você coloque informações sobre como degustar as cervejas, quando terão festivais, aulas sobre os diferentes tipos de cerveja e tudo mais que tiver relacionado.

post3

Além disso, é uma oportunidade única: é possível falar para a pessoa onde você vende seus produtos, mostrar seu processo de produção. Passar informações que sejam úteis e de utilidade pública também é válido. A Skol, por exemplo, fez um vídeo, recentemente, falando sobre os efeitos da cerveja no corpo, incentivando o consumo com moderação. O resultado foi excelente.

É importante, claro, falar sobre sua marca, o que ela faz e seus produtos. Mas intercale com outros posts que sejam relevantes aos consumidores e que tenham a ver com seus produtos e serviços. Além de trazer mais fãs, vai aproximar a marca dos consumidores.

[divider scroll_text=] 

henriqueHenrique Tardeli

É publicitário pós-graduado em Gestão de Marcas e Branding pela BSP, tem também uma especialização em E-Commerce. Já atuou durante 5 anos como programador de sistemas, 2 anos como diretor de arte e atua já há 5 anos com Business Intelligence com foco para a internet, gerando um leque de conhecimentos peculiar, mas que ajuda a entender a importância de páginas bem feitas e bem programadas na experiência do usuário. Atua e atuou na otimização de desempenho através de estudos em sites e processos de grandes marcas, como Casas Bahia, Itaú, Reckitt Beckinser e Skol.

Compartilhe!
error0

Write A Comment