fbpx

Marcas apostam em ferramentas digitais para atrair compradores e promover experiência no varejo físico

Com o crescimento e as facilidades oferecidas pelo e-commerce, o varejo físico vem apostando nas ferramentas digitais para resgatar o consumidor e promover novas experiências durante sua jornada de compras.

Afinal, mesmo com o aumento expressivo do consumo digital, 40% dos consumidores ainda preferem adquirir em lojas físicas e 72% consideram esses locais um ponto de contato importante com as marcas, conforme detectado pelo Relatório Varejo 2022 Adyen/KPMG.

Nesse cenário, a tecnologia no ponto de venda ganha espaço para surpreender, encantar e fidelizar os clientes, promovendo estímulos que possam agregar valor aos hábitos de consumo com ambientes interativos que proporcionam uma comunicação que os aproxime dos produtos e serviços oferecidos.

Segundo Richard Albanesi, CEO da The LED, empresa que atua no mercado de comunicação digital com painéis de LED, o varejo se revela como um dos principais protagonistas dessa verdadeira revolução digital que tem impactado a relação entre as marcas e os consumidores.

“A digitalização do ponto de venda coloca o cliente no centro do negócio, pois oferece o poder de escolher sua própria jornada de compra e permite que ele a construa conforme suas necessidades e perfil de consumo”, analisa o empresário.

Além de oferecerem uma percepção 15 vezes maior em relação a mídia estática, os painéis de LED também proporcionam outras vantagens estratégicas, como a experiência imersiva de consumo através de ambientes inovadores e tecnológicos, a troca de conteúdo de forma rápida e programada, a monetização por meio de parcerias comerciais com marcas ou produtos e o reforço dos canais de comunicação com os clientes.

“A tecnologia no PDV (ponto de venda) chegou não só para ajudar, facilitar e envolver o consumidor, mas também para oferecer soluções que ajudem a indústria a entender melhor o cliente e suas necessidades”, acrescenta Albanesi.

Setor em expansão

Segundo Albanesi, mais de 50% das vendas da The LED são para o segmento de mídia, com o setor varejista destacando-se entre os negócios realizados. “O varejo vem crescendo muito, cerca de 20% ao ano em instalações”, contou. Parte dessa demanda vem do setor supermercadista, onde a empresa conta com parceiros como Carrefour, SAM’s Club, Hortifruti, Natural da Terra e Dalben e Roldão, entre outros.

As grandes redes varejistas instaladas em shoppings centers, mercado onde a empresa lidera com 90% de share com mais de 150 painéis instalados por todo o Brasil para marcas que são referência como C&A, Riachuelo, Hering, Sephora e Levi’s, entre outras, também evidenciam a adesão do setor pelas mídias digitais.

A empresa encerrou o ano de 2022 com um volume de 7 mil m² de painéis de LED instalados em todo país, número que corresponde a 1/3 do consumo total do mercado brasileiro.

Varejo omnicanal

Dentre as principais tendências do varejo, sem dúvida, a omnicanalidade, que propõe a padronização e uniformização do atendimento ao cliente através da integração de todos os seus canais de venda, encontra na digitalização um forte aliado para oferecer uma experiência de consumo mais proposicional, direcionada e envolvente.

A comunicação digital, além de estimular através da maior visibilidade e informações mais impactantes, estabelece uma nova forma de conexão entre os fabricantes, varejistas e consumidores ao oferecer a possibilidade de interatividade para a captura de dados e melhor conhecimento dos hábitos de consumo.

Com essa nova dinâmica de relacionamento com o consumidor, proporcionada pela tecnologia aliada à inteligência das informações, é possível desenvolver campanhas promocionais, de serviços ou institucionais com maior poder de envolvimento no ponto de venda, obtendo melhores resultados ao estimular o consumo, agregar valor ao negócio e promover a fidelização do cliente.

Outra importante característica das soluções digitais integradas no varejo é a possibilidade de geração de mais conhecimento para a indústria ao oferecer informações sobre o perfil do consumidor, seus hábitos de consumo e a trajetória de compras. Com essas informações compartilhadas, a indústria pode avaliar possíveis demandas sobre a diversidade e adequação dos produtos de maneira a atender com maior assertividade seus públicos-alvo.

Atualmente, são várias as possibilidades oferecidas pela comunicação digital para o PDV, como a geração de dados online e real time, telas interativas com informações customizadas mediante as preferências de consumo, o uso da tecnologia “lift and learn”, na qual os produtos expostos contam com sensores conectados à tela digital que oferecem informações detalhadas sobre o item escolhido, e a geração de “mapa de calor” que permite maior conhecimento e análise de acesso às áreas de compras, entre outras.

Com esse crescente interesse do varejo em promover uma aproximação mais inteligente, objetiva e estimulante com o consumidor, o mercado de comunicação digital brasileiro está apto a antecipar tendências e oferecer soluções adequadas às diferentes necessidades e comportamentos, contando com as mais recentes tecnologias adotadas pelos players mundiais.

Essa transformação digital reflete um novo posicionamento do varejo, que busca ganhar competitividade e a preferência de um consumidor que, mais do que nunca, valoriza uma vivência imersiva, sensorial e diferenciada no ponto de venda.