Marcas e acessibilidade: Petz abre caminho com inovação inclusiva

No mundo atual, onde a inclusão e a diversidade são valores cada vez mais reconhecidos, as marcas têm um papel fundamental em garantir que sua comunicação seja acessível a todos. Acessibilidade não é apenas uma questão de cumprir regulamentações ou demonstrar responsabilidade social corporativa, mas sim de promover a igualdade de oportunidades e ampliar o alcance de suas mensagens para um público mais amplo e diversificado.

Nesse contexto, é inspirador ver marcas inovadoras liderando o caminho rumo a uma sociedade mais inclusiva. Um exemplo notável é a Petz, o primeiro ecossistema pet do Brasil, que implementou um ferramenta de acessibilidade que traduz os textos do site para Libras, a Língua Brasileira de Sinais.

Com a ajuda da tradutora virtual Maya que foi implementada na primeira semana de abril, todo o conteúdo de texto do site poderá ser automaticamente traduzido para Língua Brasileira de Sinais. Dados do IBGE mostram que, no país, cerca de 5% da população é surda ou deficiente auditiva e parte dela usa a Libras como auxílio para comunicação. Esse número representa 10 milhões de pessoas, sendo que 2,7 milhões não ouvem nada.

“Nós entendemos que cada cliente é especial e atendê-lo da melhor forma possível é nosso compromisso. Prover acessibilidade para as diferentes necessidades de nossos clientes é mais um passo no nosso objetivo de nos consolidarmos cada vez mais como o maior e mais completo ecossistema pet do país”, diz Bruno Vietti, Head de CX e Produtos Digitais do Grupo Petz.

A tradutora virtual, Maya, é um personagem 3D com tecnologia desenvolvida pela empresa Hand Talk. Com a implementação, quando o consumidor navegar na página da loja, verá uma janela de acessibilidade localizada à direita da tela, em um ícone de duas mãos. Ao clicar neste ícone a Maya vai aparecer para traduzir o texto que o usuário selecionar. “Vale ressaltar que na Petz nossas plataformas já aliam a experiência de compra a um atendimento diferenciado, por isso em breve pretendemos ter também à disposição a funcionalidade do handtalks nos demais canais digitais. A Zee.Dog, uma das empresas do Grupo, adquirida recentemente, já possui esse dispositivo no seu site”, completa Bruno.

“Fico muito feliz pelo pioneirismo do Grupo Petz com essa iniciativa tão importante de inclusão. Investir em acessibilidade para as pessoas que se comunicam em Libras é definitivamente um diferencial de peso, além de conversar diretamente com as boas práticas ESG”, comenta Ronaldo Tenório, CEO e co-fundador da Hand Talk.

Atualmente, menos de 1% dos sites brasileiros é considerado acessível para pessoas com deficiência, segundo dados do site da Hand Talk. A implementação de uma tecnologia que traduz texto para a Língua Brasileira de Sinais é importante porque grande parte da comunidade surda possui a Libras como primeira língua e não tem tanto domínio do português. Isso acontece porque a alfabetização depende, em grande parte, dos sons das palavras. E ainda que nem todos os surdos sejam analfabetos, eles dão preferência por se comunicar em Libras, que é a língua que utilizam em seu dia a dia e que faz parte de sua cultura e identidade.