Conheça a história da Midiaria.com, uma agência essencialmente integrada 

Um dos conceitos que se destaca na gestão de negócios é a comunicação. Responsável pela disseminação da mensagem adequada e pelo entendimento que ela desperta no seu interlocutor, a comunicação é determinante na Jornada de Branding.

Para aprofundar este tema e compartilhar como ele pode ser implementado na sua marca, conversamos com Kleber Pinto e Lucas Lima, fundadores da Midiaria.com, uma agência especializada no digital e com vasta experiência no atendimento de empresas de diferentes portes e segmentos de atuação.

Na Midiaria.com a comunicação é mais do que um dos serviços oferecidos, ela está no cerne da marca desde sua concepção, sendo um dos motivadores para a decisão de empreender de seus sócios.

O início da Jornada da Midiaria.com

Como muitos negócios, a Midiaria.com teve início não por necessidade, mas por uma oportunidade percebida pelos seus sócios, Kleber e Lucas que, com experiência no mercado corporativo perceberam gaps que poderiam ser preenchidos por uma nova abordagem.

Ambos trabalhavam juntos no mercado corporativo, em uma grande editora, sendo que Kleber era da área de redação e Lucas do marketing. No dia a dia, lidando com agências fornecedoras, clientes e parceiros, perceberam a necessidade de um processo mais customizado e menos moroso para a comunicação das marcas, gerando assim, resultados melhores.

Decidiram agir e, mesmo sem ter o formato da empresa definido, iniciaram um movimento para compartilhar seu know-how e ajudar profissionais de mercado, especialmente na área de marketing, e empreendedores com a criação do Blog Midiaria.com.

O primeiro aprendizado:

O início da Midiaria.com como um blog mostra a vantagem de se testar uma ideia antes de dar o passo maior de criar um negócio.

O formato adotado pelos sócios permitiu que eles validassem sua percepção de oportunidade por meio dos conteúdos disponibilizados. Se os conteúdos tivessem uma boa aceitação, significava que sua abordagem acerca da comunicação para a construção de marcas fazia sentido para um público potencial, confirmando sua percepção e sustentando a proposta.

“Pensar grande e pensar pequeno dá o mesmo trabalho, então, vamos pensar grande desde o início”. Lucas Lima

Tal abordagem, impulsionada pelo digital, implementou o conceito de Mínimo Produto Viável apresentado por Eric Ries no livro A Startup Enxuta e teve papel significativo na estruturação do formato que a Midiria.com tem atualmente.

Segundo esse conceito os empreendedores implementam suas ideias de maneira ágil, utilizando recursos disponíveis para entregar um produto ao mercado, entender sua aceitação e, a partir disso, implementar melhorias no sentido de se manterem relevantes para o mercado.

No caso da Midiraia.com tal processo está diretamente relacionado ao mindset digital, essencial para os negócios nos dias de hoje, na medida em que recursos disponíveis por meio da tecnologia foram utilizados segundo uma estratégia clara, contribuindo para a criação de valor e estabelecimento da própria marca.

O chamado “mindset digital” nada mais é do que ter uma visão estratégica sobre a tecnologia e ao meio digital, integrando-os de forma objetiva nas estratégias. Ele implica em identificar processo e atividades nas quais a tecnologia pode ser um fator-chave de crescimento e, além de implementá-la, considerar como ela impacta o comportamento das pessoas, tanto daquelas que contribuem para o desenvolvimento do produto/serviço quanto daquelas que os consomem. É esse “mindset digital” que faz toda a diferença na maneira como os negócios atuam em um mundo cada vez mais conectado, com consumidores e stakeholders mais informados e participativos nas relações com as marcas.

Identificando o Propósito – o surgimento da marca

O propósito da Midiaria.com foi identificado logo no primeiro momento em que Kleber e Lucas começaram a refletir sobre como otimizar o processo de comunicação com base em suas vivências corporativas.

Propósito Midiaria.com

Nossa razão de existir está pautada em fazer empresas prosperarem, serem únicas e essencialmente integradas às necessidades de seus clientes.

Naquele momento perceberam que poderiam contribuir para o desenvolvimento de negócios de forma ampla e impactante para muitos empreendedores.

Iniciaram então um movimento de transformação, contribuindo com seus conhecimentos em comunicação, marketing, branding e cenário digital para que empreendedores pudessem desenvolver seus produtos e serviços, estruturar sua comunicação, construir suas marcas e alavancar seus negócios.

O blog logo se tornou uma empresa e uma marca, estruturadas sobre uma forte convicção de desenvolver oportunidades no mercado e, logo, os sócios se depararam com a necessidade de formar uma equipe que os ajudasse a levar adiante sua proposta.

O principal desafio de colocar o propósito em prática está no médio e longo prazo, na medida em que é necessário ir além dos sócios fundadores, ou seja, do empreendedor, para engajar pessoas e fazer com que elas se alinhem com a proposta da marca.

Confira 5 dicas para colocar o propósito em prática clicando neste link.

Um trabalho de gestão da Cultura Organizacional, que acontece no dia a dia da empresa, perpetuando seu propósito por todos os momentos de gestão, das decisões mais simples às mais complexas, de forma a externar uma imagem de marca coerente com seu discurso. Para saber mais sobre Cultura Organizacional clique neste link.

“A cultura organizacional, fator de sucesso ou fracasso das organizações, é como um iceberg, onde a parte visível (acima do nível da água) são as manifestações mais fáceis de se identificar, enquanto a maior parte permanece oculta, difícil de ser visualizada ou identificada pelas pessoas. Nessa parte estão as decorrências e aspectos psicológicos e sociológicos da cultura – os valores, sentimentos, percepções”. (CHIAVENATO, 2004)

Trata-se de entregar a promessa da marca em todos os momentos de relacionamento e por todos os pontos de contato, passando pelo site, redes sociais, atendimento telefônico, reuniões de alinhamento e encontro com clientes até a entrega final de um projeto. Para Simon Sinek (2012, 96-98):

Nós nos tornamos bem-sucedidos como espécie por causa da nossa capacidade de formar culturas. As culturas são grupos de pessoas que se reúnem em torno de um conjunto comum de crenças e valores. Quando compartilhamos crenças e valores com os outros, nós formamos confiança. (…) Nós nos sentimos melhor em culturas com as quais nos adaptamos bem. Nós nos sentimos melhor em lugares que refletem as nossas próprias crenças e valores. Assim como o objetivo não é fazer negócios com alguém que simplesmente quer o que você tem, mas fazer negócios com pessoas que acreditam no que você acredita, então também faz bem viver e trabalhar e um lugar onde você vai prosperar naturalmente porque suas crenças e valores se alinham com as crenças e valores dessa cultura”.

Além de nossa conversa com os sócios da Midiaria.com, ouvimos também colaboradores que compartilharam conosco sua percepção acerca da marca. Para eles o propósito é presente no dia a dia e, além do foco no sucesso e desenvolvimento das empresas com quem fazem negócio, a marca se preocupa, da mesma forma, com o desenvolvimento de seus colaboradores que são tratados como membros de uma grande família, onde tem espaço para implementar suas ideias e serem eles mesmos, contribuindo com forte dedicação aos projetos e se relacionando em um ambiente humano.

Identidade da Marca – a tradução de seu posicionamento

Com o propósito claro na mente dos sócios fundadores e o caminho a ser seguido se clarificando com o teste da proposta por meio do blog, Kleber e Lucas focaram então na estruturação da identidade da marca, uma ferramenta importante para sua diferenciação no mercado.

A identidade de uma marca reúne elementos que reforçam suas associações e criam lembranças na mente e nos corações das pessoas, unindo razão e emoção para posicioná-la.

A escolha dos elementos que compõe a identidade não devem ser aleatórios ou simplesmente seguir modismos presentes no mercado, afinal, o objetivo é criar diferenciação e, para isso, ela deve ser única e vinculada ao que a marca tem de mais essencial: seu propósito.

A identidade da marca é multissensorial e engloba elementos visuais, olfativos, sonoros e sinestésicos. A identidade visual, no entanto, é mais reconhecida e contempla elementos como as cores, padrões, imagens, fontes/tipografia e o tão famoso logotipo.

No caso da marca Midiaria.com tem a ovelha como elemento principal, e o motivo é claro: a marca lida com o sonho das pessoas, especialmente com o sonho dos empreendedores.

No mundo dos sonhos a ovelha está ligada a ideia de prosperidade. A partir da ovelha vem a lã, com a qual é possível tecer algo, construir propostas. O fio da lã dentro da agulha, presente no logo, representa a entrega de uma solução customizada, focada no resultado, com o objetivo de fazer com que aquele conteúdo que a Midiaria.com oferta seja proprietário da marca do empreendedor. Assim, toda vez que o público interagir com essa marca, serão capazes de perceber que a mensagem é uniforme e gera valor.

Identidade de Marca Imagem de Marca
A identidade da marca é composta pelos elementos e associações criadas pela marca, apresentadas em conjunto para passer uma mensagem. A imagem da marca é a percepção que as pessoas formam a respeito da marca, resultado das ações voluntárias que ela executa no mercado e também nas indicações e referências compartilhadas sobre elas.

Uma história que se repete

Durante nossa conversa sobre a Jornada da Midiaria.com chegamos a um ponto interessante: quando é o momento ideal para empreender uma marca? E buscamos refletir sobre um possível caminho a ser seguido da concepção à implementação.

Logo chegamos a uma questão determinante nesse processo: a motivação para empreender.

A experiência, bem como levantamentos realizados pelo GEM-Global Entrepreneurship Monitor – uma referência interessante para quem vive o dia a dia do empreendedorismo –apontam duas motivações principais para empreender: necessidade e oportunidade. Essas motivações implicam diretamente no processo de planejamento do negócio e da marca.

Aqueles que empreendem por perceberem uma oportunidade desfrutam de mais tempo e tranquilidade para a estruturação de uma estratégia e planejamento, podendo ler o mercado com maior atenção, levantar dados que fundamentem as decisões, realizar testes de aceitação do produto ou serviço e se programar no que diz respeito aos investimentos necessários. Além, é claro, de poderem, em muitos casos, conciliar a atuação no mundo coorporativo com a implementação do novo negócio, garantindo uma renda principal.

Já aqueles que empreendem por necessidade precisam da estrutura do negócio funcionando o quanto antes sem desfrutar de muito tempo para o planejamento e definição estratégica. A ideia do produto ou serviço é logo implementada, muitas vezes sem um estudo prévio do mercado e aceitação do público. Nesse cenário, a construção da marca acaba ficando em segundo plano, não recebendo a atenção necessária desde o início.

Embora não se possa determinar uma receita para a implementação de uma maca, pode-se sim recomentar alguns passos a serem seguidos para uma um processo adequado.

O primeiro passo, essencial para qualquer situação, é a estruturação de um plano de negócios a partir da ideia concebida. O empreendedor precisa investir tempo e atenção para colocar a ideia no papel, elencando todos os elementos que se relacionam a sua implementação.

Esse planejamento pode ser feito de inúmeras formas, sendo que as principais são a elaboração de um Plano de Negócios tradicional ou, o mais habitualmente utilizado, a elaboração de um Canvas de Negócios.

Um pouco mais sobre o Canvas de Negócios: canvas é uma ferramenta gerencial desenvolvida para auxiliar no desenvolvimento de um modelo de negócios de forma visual, integrando pontos fundamentais no processo de criação de valor. O modelo tradicional do Canvas de Negócios foi inicialmente proposto por Alexander Osterwalder e integra nove blocos principais: parcerias chave que o negócio precisa estabelecer, atividades chave que o negócio realiza, recursos chave necessários para realizar as atividades, a proposta de valor que o negócio apresenta, como acontecem as relações com os clientes, os canais que o negócio utilizar para ofertar seus produtos ou serviços, quais são os segmentos de mercado com os quais o negócio se relaciona, sua estrutura de custo e por último, mas não menos importante, suas fontes de renda.

Business Model Canvas proposto por Alexander Osterwalder. Saiba mais sobre o modelo no site oficial do autor e no site dedicado ao seu modelo estratégico

Na sequência o empreendedor deve fazer uma reflexão sobre o produto ou serviço que pretende oferecer, sob o seu ponto de vista e, principalmente, considerando o consumidor.

Segundo Kleber, um dos maiores desafios para empreender uma marca é ter a confiança de que aquele é o momento da virada, o momento de apostar na ideia, tirá-la de um canvas, do papel e fazer acontecer. É preciso acreditar no negócio.

Nesse momento ele deve pensar se ele mesmo compraria o produto ou serviço que visa oferecer e se o mesmo o motiva a levantar todos os dias para investir tempo e recursos na sua prospecção. E, em paralelo, entender como o seu consumidor potencial receberia essa oferta, ela faria sentido para ele e em quais situações seu uso seria pertinente.

Retomando ao início da Jornada da Midiaria.com, foi exatamente isso que os sócios Kleber e Lucas fizerem ao perceber uma oportunidade a partir de suas experiências corporativas, criar o movimento da Midiaria.com por meio de seu blog, testar sua proposta e, então, consolidar a marca no mercado.

Essa etapa traz uma armadilha: o feeling do empreendedor. Sim, o feeling é muito importante no processo, mas ele precisa ser validado. Afinal, ao mesmo tempo que muitos empreendedores acertam em investir naquilo que eles mesmos usariam, muitos deixam de analisar o mercado de forma adequada e acabam por perder recursos.

Na sequencia o empreendedor deve pensar na implementação da ideia, considerando fornecedores, parceiros, colaboradores, canais de distribuição e estrutura de custos necessárias para sua marca acontecer.

Basicamente ele deve planejar o famoso Mix de Marketing, mais conhecido como 4Ps: produto, preço praça e promoção para posicionar seu produto no mercado:

Embora pareça que a Jornada se encerra com essas definições, isso não é verdade. Uma marca, assim como um negócio, são um sistema dinâmico e, por essa razão, evoluem segundo o ritmo do mercado, se adequando ou não, a suas transformações.

Essa constante atenção às tendências e demandas dos consumidores, parceiros, mercado e sociedade no geral é que garante a perpetuação de sua relevância.

Comunicação e relevância de marca

Em um mundo conectado a dinâmica entre marcas e consumidores mudou. A comunicação não se sustenta mais sobre uma mensagem unilateral, emitida pela marca e recebida de forma passiva pelos consumidores.

Hoje, conectado e informado, o consumidor exerce papel ativo e, além de se relacionar com a marca, se relaciona com seus pares, participando de grupos de interesse, trocando percepções, se unindo em movimentos pautados em valores e validando cada aspecto.

Nesse cenário as marcas devem primeiro estabelecer uma conversa, estando abertas ao feedback e participação do consumidor no processo de comunicação e, em segundo lugar, devem, ao invés de “empurrar” uma mensagem, atrair o consumidor para seus pontos de Contato, criando oportunidades de criar experiências e reforçar seu valor.

Para tanto, o conteúdo ganha destaque na estratégia na medida em que tem o poder de despertar o interesse das pessoas em saber mais sobre o universo da marca, tendo a mesma como referência para situações relacionadas ao uso de seus produtos e serviços.

No entanto esse conteúdo não pode ser qualquer conteúdo, ele deve ser alinhado ao propósito e posicionamento da marca para que, além de fazer sentido e transmitir coerência, ele possa ser relevante.

Nesse ponto o movimento inciado pela Midiaria.com ganha destaque, uma vez que sua expertise em comunicação e o compartilhamento de seu know-how inspira negócios a desenvolverem estratégias de conteúdo personalizadas e capazes de destacá-las em meio a tantas ofertas disponíveis no Mercado.

Kleber reforça que, para criar e implementar uma estratégia pautada em conteúdo, essencial para o mundo conectado, como mostrado anteriormente, o empreendedor deve se atentar aos seguintes pontos:

  1. Ter clareza de propósito, entendendo o que sua marca representa e como ela se posiciona no Mercado;
  2. Entender como aquele conteúdo pode impactar, de maneira positiva, a realidade do consumidor, atendendo uma demanda que esteja relacionada ao uso do produto e serviço ofertado pela marca;

Kleber recorda que hoje a busca on-line é uma realidade e que as pessoas vão ao Google, ou a qualquer outro buscador, para encontrar soluções para um problema ou entretenimento, pontos focais que o conteúdo da marca deve atender.

  1. O conteúdo deve visar criar experiências de marca, satisfazendo o consumidor, criando a percepção de referência e proporcionando o compartilhamento com foco no crescimento exponencial. Afinal, as pessoas compartilham aquilo que acham relevante e não anúncios invasivos.

Para trabalhar uma estratégia de conteúdo o empreendedor e sua equipe podem seguir por dois caminhos: elaborar esses conteúdos internamente ou contratar empresas especializadas como a Midiaria.com para dar suporte e realizar uma verdadeira consultoria.

Branded Content ou Conteúdo de Marca é o termo utilizado na literatura para fazer referência estratégia de conteúdo pautada o propósito, posicionamento e associações de marca, utilizada para reforçar a identidade da marca nos canais de comunicação e contribuir para uma construção positiva de imagem da marca no imaginário do público.

Em ambos os casos, contudo, não se exclui o fato de que tanto o empreendedor, quanto sua equipe, precisam estar profundamente envolvidos no processo, uma vez que são eles a ponte entre ambiente interno da marca e o Mercado.

Hoje a marca Midiaria.com está consolidada no mercado, com clientes de diferentes portes e segmentos, uma equipe de colaboradores alinhada ao propósito firmemente implementado e defendido pelos seus sócios, escritórios em São Paulo e Belo Horizonte e uma coleção de cases de sucesso.

Para conhecer mais sobre a atuação da Midiaria.com, acesse e confira seu site clicando aqui.

A Jornada da Midiaria.com é inspiradora e pautada em um propósito condizente com os sócios, colaboradores e tendências de mercado. No entanto, ela não se encerra aqui, dia após dia seus gestores estão se atualizando e trazendo novas soluções para o Mercado, assim como toda Jornada do Branding deve ser.

Kleber Pinto

Jornalista pela PUC-SP, Master em Jornalismo Digital pela Universidade de Navarra, na Espanha, especialista em Gestão Integrada da Comunicação Digital para Ambientes Corporativos pela ECA-USP, e Mestre em Tecnologias da Inteligência e Design Digital pela PUC-SP. Experiência de mais de 15 anos em projetos multimídia, curadoria e gestão de conteúdo para ambientes virtuais, inbound marketing e mídias sociais. É palestrante e facilitador sobre os temas comportamento digital, transformação digital, automação de marketing, clientividade. Professor da disciplina de gestão de mídias sociais e conteúdo na FAAP-SP, e das disciplinas Internet das Coisas e web Semântica e Marketing de Influência nos programas de pós-graduação da Belas Artes. É especialista convidado do YouTube para os workshops de Diversificação de Receitas e Branded Content da plataforma no Brasil e também sócio-fundador da agência de comunicação midiaria.com, onde é diretor de estratégia digital e comunicação.Lucas Lima

Cofundador e líder de projetos em branding na Midiaria.com. Comunicólogo de mercado pela Universidade Metodista de São Paulo, especialista em Comunicação Organizacional pela Faculdade de Comunicação Cásper Líbero e Master em Gestão de Marcas e Branding pela Business School São Paulo. Experiência nas áreas de Relações Públicas, Branding, Gestão da Imagem e Reputação.

 

Referências:

CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de pessoas: e o novo papel dos recursos humanos nas organizações. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004

SINEK, Simon. Por quê: como grandes líderes inspiram ação. São Paulo: Saraiva, 2012.

RIES, Eric. A Startup Enxuta: como os empreendedores atuais utilizam a inovação continua para criar empresas extremamente bem-sucedidas. São Paulo, Lua de Papel, 2012.

Author

Write A Comment