Pesquisa recente da Kantar, consultoria e líder global em dados e insights, revela que duas atitudes são importantes para os brasileiros com relação às marcas diante da pandemia do coronavírus: serem exemplos e liderarem a mudança; e serem práticas e realistas.


O complexo cenário atual, marcado pela pandemia do COVID-19, impacta o mundo nos aspectos econômico, social e até ambiental, fazendo com que muitas pessoas passem a refletir sobre seu comportamento de consumo, suas relações com a tecnologia e, inclusive, sua forma de contribuir e se relacionar com a comunidade.

Neste contexto, as marcas também passam (e devem) refletir sobre que tipo de comunicação utilizar e como devem agir. Afinal, não apenas seus consumidores, mas também colaboradores e demais stakeholders esperam um posicionamento das marcas, empatia e uma real preocupação com o ser humano num momento marcado pela insegurança e pelo medo.

Uma pesquisa da Kantar, realizada com 500 entrevistados de forma online entre os dias 13 e 16 de março, revelou que o coronavírus já preocupava 80% dos brasileiros. E quando questionados com relação ao tipo de publicidade em que as marcas brasileiras deveriam continuar investindo, mais de 80% dos entrevistados concordaram completamente que elas devem comunicar seus esforços para enfrentar a situação e sobre como podem ser úteis nesse novo dia a dia, assim como evitar explorar a situação do coronavírus para promover suas marcas.

O que os entrevistados esperam com relação ao posicionamento das marcas no Brasil?

  • Que sirvam de exemplo e guiem a mudança (25%)
  • Sejam práticas, realistas e ajudem consumidores no dia a dia (21%)
  • Ataquem a crise e demonstrem que ela pode ser derrotada (20%)
  • Usem seu conteúdo para explicar e informar (18%)
  • Reduzam a ansiedade e entendam as necessidades dos consumidores (11%)
  • Sejam otimistas e pensem de formas não convencionais (3%)

Segundo Valkiria Garre, CEO de insights na Kantar Brasil, “Por ser um momento sensível, mensagens podem ser mal interpretadas, conteúdos podem gerar desserviços e peças criativas podem estimular o sentimento errado. Ainda assim, as marcas devem continuar investindo de forma estratégica para conseguir crescimento a longo prazo.”

Quais atitudes os consumidores esperam das empresas como organizações?

Ainda segundo a Kantar, na opinião dos brasileiros o mais fundamental nesse momento é se preocupar com a saúde de seus colaboradores, higienizando os locais de trabalho (67%) e possibilitando os horários flexíveis (18%). Em contrapartida, a minoria dos entrevistados espera que as empresas ofereçam descontos e promoções aos consumidores (1%) e doações para apoiar compra de materiais para hospitais (2%).

“Estamos vivendo um momento delicado da nossa história e devemos prezar primeiramente pela saúde da população. Toda e qualquer outra decisão deve ser pautada no uso de dados e informações para que os resultados sejam os mais benéficos possíveis”, diz Valkiria.


Imagem: Fusion Medical Animation, 2020.

Author

Cofundadora e Gestora Executiva de Conteúdo do InfoBranding Designer sempre envolvida em projetos acerca de business design, design thinking e emotional branding. Formada pela Belas Artes (São Paulo) e pós-graduada em Branding – Gestão de Marcas pela Business School São Paulo, auxilia pessoas e empresas a otimizarem resultados e criar conexões estratégicas por meio de suas marcas: expressão e comunicação de marca, propostas baseadas em visual thinking e desenvolvimento de soluções criativas que consigam expressar personalidade e identidade em seus pontos de contato.

Write A Comment