Tag

Branding e Negócios

Browsing

O InfoBranding subiu a serra para conhecer a história de um restaurante que há 19 anos fideliza clientes e conquista espaço em seus corações.

Estratégia é uma palavra muito utilizada e enaltecida no mundo dos negócios. E esse uso excessivo pode nos faz esquecer seu real significado, hora sendo enaltecido, distanciando da realidade dos “pobres mortais”, hora sendo banalizado, tornando-se vazio.

Ambíguo, não é mesmo!?

Mas retomando seu significado, estratégia vem do grego stratègós, a junção de stratos (exército) e ago (liderança); uma origem militar que, mais tarde, se tornou mais abrangente, hoje representando o planejamento necessário para se conquistar um objetivo.

Foi com isso que nos deparamos no Canto da Gula, um charmoso restaurante bistrô na cidade serrana de Santo Antônio do Pinhal, próxima à Campos do Jordão, na região do Vale do Paraíba.

O Canto da Gula foi fundado em 2000 pelas amigas Cristina Amaro e Regina Brasilio, que o administram até hoje com a mesma paixão que tinham no início.

A essa altura do texto você deve estar se perguntando: “ok, mas por que começaram falando de estratégia?”.

As duas amigas começaram a empreender o Canto da Gula quando perceberam uma oportunidade e, desde então, planejam cada passo, analisando os recursos necessários e os disponíveis para conquistar o objetivo de ser um restaurante de qualidade, com um atendimento diferenciado e próximo do cliente.

O início da jornada

Com esse objetivo em mente, buscaram um espaço, começaram bem pequeno e, ano após ano, um degrau após o outro, consolidaram o que, hoje, é uma referência gastronômica para a região com destaque na mídia, turismo e também entre os moradores.

Como muitos negócios, o Canto da Gula não surgiu de uma necessidade, mas sim, de uma ideia que uniu duas amigas para empreender.

Cristina e Regina são da região do Vale do Paraíba e, em uma de suas visitas à Santo Antônio do Pinhal, perceberam duas coisas: o potencial turístico da cidade e a necessidade de estabelecimentos com melhores serviços.

Com a vontade de empreender e a paixão pela gastronomia e comidas que lembram receitas e “momentos de família” tiveram a ideia de abrir uma pequena casa de caldos e cremes – algo simples, com apenas dois pratos no cardápio.

Começaram a pesquisar vários locais na região e, por coincidência, acabaram encontrando um salão abaixo da pensão onde estavam hospedadas.

O espaço era pequeno, um cantinho com capacidade para cinco mesas; característica aconchegante que se traduziu no nome do negócio: Canto da Gula, fazendo referência ao local onde você vai para se deliciar com comidinhas caseiras e muito saborosas.

Nesse início as sócias fizeram de tudo para que o Canto da Gula acontecesse e se estabilizasse como sua fonte de renda.

Carregaram caixas, rasparam e reformaram o chão, pintaram as paredes, repararam móveis, enfim, puseram a mão na massa. Além, é claro, de contar com a ajuda de familiares, como suas mães que, no início, ajudavam na confecção dos pratos e menus.

Esta é a realidade comum à maioria dos pequenos empreendedores brasileiros, que começam seus negócios com poucos recursos e muita força de vontade.

Vieram as dificuldades

As empreendedoras não eram de Santo Antônio do Pinhal e, por isso, eram vistas pelos outros negócios como “forasteiras”.

Tal percepção impôs algumas dificuldades para que o Canto da Gula se estabelecesse. Os moradores e outros empreendedores demoraram certo tempo para entender a proposta do restaurante.

Uma marca de sucesso não nasce a partir do momento em que se coloca a placa no estabelecimento. Branding é construído ao longo do tempo e o Canto da Gula deu início ao que, hoje, é uma marca que representa boas experiências e associações que estavam apenas na mente e no coração das fundadoras.

O impacto do novo

Quando uma marca chega com uma proposta inovadora, impacta diretamente seus consumidores e concorrentes. Pode incomodar no início.

Porém, a inovação é fundamental para mover o mercado adiante trazendo benefícios para todos.

O exemplo do Canto da Gula é perfeito para pequenos empreendedores pois lembra que a inovação não se relaciona apenas com tecnologia e mudanças radicais, ela também pode estar relacionada aos processos e ser implementada de forma incremental.

O Canto da Gula trouxe a inovação para o mercado de Santo Antônio do Pinhal ao repaginar receitas clássicas, aqnuelas de família, que nos remetem a bons momentos, lembranças e àquela sensação de almoço de domingo!

Um exemplo disso é o famoso strogonoff de salmão e a broa de milho aerada recheada com peito de frango, requeijão cremoso e milho verde, gratinada com parmesão e salpicada com batata palha e pimenta rosa.

Hoje o Canto da Gula conta com 16 mesas, 58 lugares, 8 funcionários, mais de 40 opções entre entradas, pratos principais, sobremesas e, o mais importante, incontáveis clientes que viraram amigos ao longo desses quase 20 anos.

A evolução da jornada:
Quando a marca começou a ser o centro da comunicação

Como acontece com muitos negócios, a preocupação com a marca, design e comunicação não foi o foco inicial, mesmo porque o empreendedor precisa, sobretudo, fazer a empresa acontecer e se atentar com questões legais e burocráticas que o processo de empreender demanda.

Quando o Canto da Gula abriu suas portas e iniciou sua atuação, não havia foco na gestão de sua marca. Cristina e Regina sabiam o que queriam passar com o negócio, mas não sabiam a melhor forma de transmitir essa ideia aos clientes.

Em um processo natural, começaram divulgando o negócio por meio de flyers quase que improvisados, sendo que a primeira versão nem continha a identificação do local. A partir daí foram evoluindo na maneira de se comunicar e carimbar sua identidade, melhorando a qualidade dos materiais, criando um cartão postal e construindo, pouco a pouco, sua identidade.

O momento de virada para o Canto da Gula se deu no período em que uma terceira sócia, Jane Ciambelli, atuou junto com Cristina e Regina, contribuindo com uma visão mais voltada para o marketing.

Realizaram ações promocionais do tipo “coma à vontade” e também “self-service”, que mantiveram por um tempo, mas, depois, descontinuaram por demandar esforços além de suas possibilidades.

O fato não ameaçou seu princípio de atendimento, personalidade, carinho e qualidade. Tudo isso foi mantido por mais tempo e se mantêm até os dias de hoje. Exemplos dessas mudanças foi o incremento e melhor apresentação do cardápio, reformulação da identidade visual e atenção aos detalhes na ambientação do local.

Quando falamos em experiência de marca, uma das ferramentas do marketing para transmitir a sua essência no ponto de venda é o Visual Merchandising (VM). E engana-se quem pensa que o VM se restringe às lojas.

O Canto da Gula exibe um trabalho encantador de visual merchandising que transmite acolhimento e emoção por meio do espaço físico, valorizando a apresentação de seus produtos e serviços num importante ponto de contato da marca, principalmente no caso de restaurantes.

Essa jornada de experimentação, cautela e implementação no estilo “um passo de cada vez” traz lições importantes, especialmente por serem assimiladas por muitos empreendedores.

Estar aberto a tentar e aprender com os erros é um conceito fundamental para quem empreende. Conceitos clássicos como o Ciclo PDCA (Plan, Do, Check e Act), atribuído à Walter Shewart e popularizado por William Edwards Demming, pai da gestão da qualidade; e o Ciclo do Feedback de Eric Ries na obra A Startup Enxuta são ferramentas interessantes para o acompanhamento das mudança na gestão, acessíveis e aplicáveis a todos os tipos de negócios.

Resultado na mídia

O resultado do esforço e do aprendizado do Canto da Gula é um expressivo reconhecimento regional por parte dos consumidores e, também, por parte da mídia.

A grande lição que Cristina e Regina deixam com a história da evolução de sua preocupação acerca da marca está em um trecho da fala das sócias:

“Uma nova visão empresarial encanta, mas é preciso ter pé no chão para poder segui-la”. (Cristina e Regina, gestoras do Canto da Gula).

Quantos empreendedores não se deslumbram com promessas inspiradoras de ferramentas e abordagens, mas com o tempo acabam percebendo que aquilo não representa um “milagre” divisor de águas nos resultados do negócio?

Em tempos de transformação digital e informação disponível 24/7, é essencial aos empreendedores e profissionais entender a realidade do seu negócio, transformar informações em conhecimento e seguir, de forma rigorosa, seu propósito e posicionamento.

Endobranding e seu reflexo no atendimento aos clientes

Um dos assuntos que mais esteve presente durante a conversa que tivemos com Cristina e Regina foi a preocupação com o desenvolvimento e bem-estar de seus colaboradores.

Sem saber termos e abordagens técnicas, o Canto da Gula possui um belíssimo trabalho de endobranding.

Endobranding é a parte do branding que se dedica a difundir o propósito é cultura da marca para todos os seus colaboradores, integrando-os ao negócio e possibilitando que se desenvolvam ao máximo.

Para o Canto da Gula tal abordagem se fez especialmente importante uma vez que a cidade e região carecem de mão de obra preparada para trabalhar de forma a entregar um serviço diferenciado.

Logo, a saída para as sócias foi contratar, treinar os colaboradores e prepará-los para dar vida ao conceito da marca.

Nesse sentido, Cristina reforça que desde o início existe uma preocupação muito grande em oferecer treinamentos, atenção e carinho para os colaboradores, fazendo-lhes se sentir como parte integrante da marca.

Um exemplo disso está na cozinheira, uma das funcionárias mais antigas do restaurante que, de origem humilde, proveniente de uma família que batia tijolo e trabalhava na lavoura, chegou sem nenhuma experiência.

No início, ela recebeu treinamento direto de Cristina e Regina aprendendo o que as sócias trouxeram de experiência de suas mães. Com o passar do tempo, demonstrando interesse, força de vontade e coragem, recebeu também treinamento de uma consultoria em boas práticas (Coutinho e Cursino treinamentos) e de uma consultora em Gastronomia (Jade Veronese) para a readaptação dos pratos, passando a desenvolvê-los de maneira mais personalizada.

Nesse processo, a vida da cozinheira mudou. Ela aprendeu a trabalhar melhor a parte financeira de sua casa, pode melhorar a condição de sua família e, com muito trabalho, foi melhorando sua situação.

Por isso endobranding é fundamental, afinal, se uma marca bem posicionada e com um propósito claro tem o poder de atrair e engajar consumidores, ela tem igual importância para engajar e tirar o melhor de seus colaboradores.

Como o Canto da Gula trabalha seu Endobranding?

  • Saber escolher o profissional;
  • Buscar sempre o perfil que esteja alinhado com a proposta;
  • Realizar treinamentos internos;
  • Investir em cursos de capacitação, estimulando o interesse pelo crescimento;
  • Trazer referências de fora para compartilhar conhecimento com os funcionários;
  • Buscar meios facilitadores para o funcionário se desenvolver;
  • Fornecer a areia e o cimento, mas também ensinar a construir suas casas (metáfora);
  • Estimular o ambiente familiar, incentivando as famílias dos funcionários a se desenvolverem.

A força do Branding para a região

Nos últimos anos o branding foi bastante difundido Brasil afora e a cada dia se torna mais próximo do pequeno e médio empreendedor, cuja representatividade para a economia do Brasil é imensa, representando a maioria dos negócios aqui registrados e ativos.

Nós, do InfoBranding, ficamos felizes por fazer parte deste processo com conteúdo e eventos, especialmente pelo foco e importância que buscamos conferir ao segmento dos pequenos e médios negócios.

Empreendedores do país inteiro podem se beneficiar com a boa gestão de suas marcas, encarando-as como ativos que podem, de fato, gerar valor para seus negócios.

Santo Antônio do Pinhal e seu entorno, da Serra da Mantiqueira e Vale do Paraíba, são exemplo de como a boa gestão pode valorizar a região e todos os seus empreendedores.

A região possui clima e ambiente bastante característicos, especialmente para casais que buscam um pouco de romance e relaxamento. Nesse sentido, as empresas regionais têm em suas mãos uma grande oportunidade turística a ser explorada.

As fundadoras do Canto da Gula conversaram bastante a respeito do impacto que seu atendimento diferenciado causou na comunidade empreendedora há 20 anos, quando a abordagem ainda não era o foco de seus concorrentes.

Cristina e Regina, antes enxergadas como “forasteiras”, hoje são bastante envolvidas com as atividades voltadas ao empreendedorismo na região, caracterizado em sua grande maioria por pequenos e médios empresários que, na sua união, enxergam uma rica fonte de atualização, networking e capacitação técnica em áreas de gestão.

Um exemplo desta iniciativa é a Associação Comercial de Santo Antônio do Pinhal (ACASAP), que entre outros projetos, é responsável pelo “Saber na Montanha”, focado em compartilhar conhecimento sobre marketing, liderança, atendimento ao cliente entre outros para os empreendedores.

Tal rede de empreendedorismo agrega valor para o conjunto de negócios, desenvolve a mão de obra local, além de nutrir, de forma ativa, a percepção dos consumidores acerca da região, que passa a ser considerada como destino em seus planos de lazer.

Restaurantes atraem turistas de cidades próximas para experiências gastronômicas e simples almoços em família e amigos; por sua vez, estes turistas acabam permanecendo na cidade e movimentam as pousadas e circuito hoteleiro. Durante a estadia, consomem bebidas e artesanatos feitos na região e, assim, contribuem para girar a roda da economia, gerar e manter empregos, e contribuir para a qualidade de vida dos moradores, como acontece com os funcionários do Canto da Gula.

Portanto, investir em branding é fundamental para o sucesso e longevidade de negócios Brasil afora, especialmente por reunir, comunicar e propagar atributos que reforcem o seu valor para o consumidor.

O Canto da Gula hoje

Em breve completando 20 anos, o Canto da Gula é uma marca apaixonante, querida e extremamente valorizada por aqueles que se relacionam e, o mais importante, com o pé no chão.

Os anos de atendimento cuidadoso, personalizado e focado em proporcionar a melhor experiência para seus clientes, sem pressioná-los a consumir mais e respeitando suas preferências, garantiram ao Canto da Gula um lugar de destaque na lista de restaurantes preferidos.

Mensagem final

Por fim, Cristina e Regina deixaram uma mensagem para os nossos leitores com o objetivo de incentivá-los a começar e tornar seus negócios uma marca de sucesso:

DE-DI-CA-ÇÃO. Se você, enquanto empreendedor e profissional, escutar o seu cliente, entender suas motivações se preocupar em dar o seu melhor, ele vai perceber e, o mais importante, ele vai repassar a experiência para sua rede de contatos.

Assim, a ressonância de marca, conceito que abordamos aqui, aumenta e mais pessoas percebem o seu valor, sem mentiras e com a legitimidade da opinião de quem confiam.

Além da dedicação ao cliente o empreendedor jamais pode esquecer da relação custo-benefício do negócio para o cliente e, principalmente, para ele mesmo. Pois sem paixão e dedicação, nada acontece.


Cristina Amaro e Regina Brasilio

Cristina é emoção. Regina é razão. E o Canto da gula alimenta a alma com esse tempero.

Compartilhe!
error0

Executivos da Troiano Branding lançam novo livro com teoria, metodologia e cases sobre Propósito e seu impacto para pessoas, marcas e organizações no século 21.

Qual é o seu propósito? Esta é a pergunta que dá título ao novo livro de Cecília Russo Troiano e Jaime Troiano, cujo lançamento aconteceu na última segunda-feira, 14 de outubro, em São Paulo, reunindo profissionais de branding e empresários para um coquetel com palestra e sessão de autógrafos.

Nossa equipe ao receber o autógrafo dos autores Cecília Russo Troiano e Jaime Troiano.

Cecília e Jaime são sócios da Troiano Branding, uma das empresas pioneiras em gestão de marcas no Brasil, com mais de 26 anos de história e expertise no acompanhamento de negócios de diversos segmentos.

Foi deste know-how que nasceu a proposta do livro. Segundo Jaime Troiano, que abriu as falas da noite, havia a necessidade de “colocar a bola no chão” e discutir sobre o impacto do propósito na existência das marcas uma vez que, nos últimos tempos, muitos conceitos surgiram para abordar o assunto, por vezes banalizado.

Para Jaime, o propósito é a mãe de todas as ferramentas de branding e, sendo assim, é a partir dele que se desdobram e se sustentam todas as iniciativas e definições estratégicas.

Contextualizando este momento que enfatiza a importância do propósito, abordaram o conceito de Realidade Líquida de Zygmunt Bauman, sociólogo e psicólogo polonês, segundo o qual as transformações e relações acontecem de maneira rápida e imprevisível.

Sendo assim, a busca pelo sentido se torna central e o propósito mostra-se como a chave para aproximar a todos do que é permanente, duradouro e consistente.

Ao assumir a fala, Cecília completou dizendo que o envolvimento com o propósito surgiu gradualmente, na medida em que desenvolviam os projetos da Troiano Branding, especialmente depois da parceria com o Bright House, consultoria de Atlanta/EUA, para a construção da marca Havaianas.

Segundo ela, foram percebendo a necessidade de guiar a abordagem por um conceito central, capaz de sustentar todas as ações e, assim, dissemina-las de forma legítima.

Afinal, “uma marca sem propósito é uma marca sem alma”, referência que Cecília fez a uma fala constante de Jaime Troiano.

Quer saber mais sobre propósito de marca? Acesse aqui!

Nesta jornada, inquietação e um viés de psicologia os guiaram ao entendimento de que, na verdade, o propósito deve ser escavado, identificado e trabalhado a partir de uma soma de fatores como a motivação empreendedora da marca, a relação entre as pessoas e o impacto da marca na sociedade.

Como resultado, nasce a metodologia “Rota do Soul”, que ajuda organizações a identificar, lapidar e potencializar seu propósito por meio de uma analogia que reúne, de forma poderosa, conceitos de ALMA e SOL, valorizando o SER que confere a autenticidade necessária para se conquistar e sustentar a relevância e a IRRADIAÇÃO que, por sua vez, permite que as ideias cheguem mais longe e causem um impacto maior e mais profundo nas relações que envolvam a marca.

Cecília Russo Troiano apresentando a metodologia “A Rota do Soul”

Desta forma, o livro “Qual é o seu Propósito: A energia que movimenta pessoas, marcas e organizações no século 21” se sustenta sobre dois pilares: o teórico, reflexo de tudo o que foi apresentado nos últimos parágrafos e o vivencial, retratado por meio de cases de marcas que passaram pela transformação do propósito com o acompanhamento da Troiano Branding.

Durante o bate papo de lançamento foram convidados para o debate Fernanda Abdo Saad, da Aegea – marca de saneamento; Leninha Palma, da Caedu – marca do segmento de moda e confecções e Rafael Navarro, da Sintel – marca de Suport Chain Automotivo.

Moderados por Robson Viturino, editor do livro, os convidados compartilharam o impacto do branding e do propósito em seus negócios, reforçando a importância da iniciativa de Cecília e Jaime Troiano de lançar um livro sobre o conceito.

O livro traz uma linguagem leve para apresentar conceitos importantes, relacionando-os sempre à sua implementação prática, destacando o processo necessário para a consolidação do propósito na estratégia de uma marca. Seu projeto gráfico, repleto de ilustrações, confere graça e leveza ao livro, tornando a experiência de leitura ainda mais prazerosa.

Garanta seu exemplar!

Além de todos os motivos acima elencados para incentivar sua leitura, o valor arrecadado com os direitos do livro serão doados para a Junior Achievement Brasil, organização social que incentiva e estimula jovens para o mercado de trabalho através do método “Aprender-fazendo”. Saiba mais aqui.

Confira 5 passos para praticar o propósito da sua marca clicando aqui!

Compartilhe!
error0
Empreendedora francesa fala sobre como construir uma marca apaixonante valorizando o propósito, experiência do consumidor e storytelling

O resultado de uma marca está atrelado à capacidade de envolver o consumidor em sua proposta de valor, proporcionando experiências memoráveis que se convertam em relacionamento e, potencialmente, no tão esperado fator “Wow”.

Simples de se descrever, porém muito difícil de se conquistar, esta situação de sucesso é fruto de muito planejamento, gestão, foco e, é claro, trabalho duro.

Foi exatamente o que encontrei conversando com Sandrine Billard, fundadora e gestora da marca Petit Louarth, cuja proposta você vai conhecer neste artigo.

Sandrine não começou a conversa me contando sobre sua trajetória ou origem de seu empreendimento como o esperado. Ao invés disso, ela me apresentou uma caixa, me incentivou a explorá-la e começou a analisar minha reação.

Começava ali a EXPERIÊNCIA com a marca. Não por acaso, um dos seus pilares mais importantes.

O que eu tinha em mãos era o Coffret, produto principal da Petit Louarth. Uma pequena caixa de preciosidades, feita para guardar objetos de valor, que na cultura francesa pode ser usado para joias, perfumes e pequenas recordações. Sandrine adaptou este conceito para a realidade brasileira e o projetou de maneira minuciosa, pensando nas principais e mais importantes recordações que os pais guardam durante o crescimento de seus filhos, oferecendo uma opção organizada, lúdica e repleta de gatilhos para despertar emoções profundas nos pais, filhos e familiares.


Vídeo de apresentação do produto com ênfase na experiência do usuário.

Com este gatilho Sandrine me envolveu na proposta e, mesmo sem ter filhos, percebi ali o valor do benefício ampliado que seu Coffret apresentava.  Mais do que um simples organizador, a Petit Louarth traz a possibilidade de construir uma história colaborativa em família, resultando em uma lembrança que se configura como uma plataforma para eternizar momentos especiais.

Itens como a primeira chupeta, os dentinhos, a naninha, fotos de maternidade, pelúcias e até mesmo uma régua de crescimento foram contemplados. Tudo para ajudar os pais e/ou familiares a construir a história de seus pequenos.

A partir desses conceitos e com base na paixão pela infância, nasceu a Petit Louarth que, além de encantar, configura-se como uma verdadeira aula de branding e empreendedorismo.

Já envolvido pela marca e o que ela representa, começamos a conversar sobre os aspectos técnicos que marcam a trajetória de Sandrine e sua marca.

Como muitos empreendedores, Sandrine começou sua marca com o objetivo de dedicar tempo a algo em que acreditava, mas fez isso de maneira consciente, analisando o ambiente e planejando cada passo.

Percebendo uma demanda pouco explorada, desenvolveu um produto, criou uma marca e buscou implementar a proposta de forma ágil e consciente.

Direcionou sua experiência em grandes multinacionais para estruturar um plano de negócios, definindo seus objetivos de curto, médio e longo prazo bem como elencando os principais KPIs que precisariam ser atingidos para validar ou não suas expectativas.

Neste processo, firmeza e rigidez com seu propósito a ajudaram a estruturar um compliance que clarificou e direcionou a escolha de fornecedores, com os quais alinhou suas expectativas e definiu critérios para a parceria. Visitou cada um deles para garantir que não exploravam trabalho infantil e que respeitavam a legislação trabalhista vigente no país, bem como verificou se atenderiam seu padrão de qualidade. Assim, sua trajetória nos deixa uma lição importante: por mais que o envolvimento emocional do empreendedor com sua marca seja importante para trazer aquele “brilho nos olhos” e “paixão” capazes de motivá-lo, é estritamente necessário manter certo grau de frieza para a tomada de decisão e acompanhamento essenciais para o sucesso.

A criação da marca:

No que diz respeito à criação da marca, Sandrine, assim como muitos empreendedores, não teve consultoria especializada, por outro lado, seguiu uma linha de raciocínio para transmitir toda sua proposta por meio do nome e identidade. Ela sabia que a marca precisaria remeter ao universo infantil de forma espontânea ao mesmo tempo que refletisse sua origem francesa. Por isso, escolher o nome “Petit” foi relativamente fácil. No entanto, Sandrine sabia que para o processo de registro e proteção da marca ela precisaria de algum diferencial que reforçasse a exclusividade e, para a segunda parte do nome, decidiu usar as iniciais dos seus filhos para formara a palavra “Louarth”. E aqui está uma sacada muito legal.

Logotipo da Petit Louarth, no qual a tipografia de aspecto mais manual se destaca e tem como suporte, a forma circular da lua com aplicação de textura que se alinha com os traços das ilustrações que dão vida ao produto.

Louarth” é a junção dos nomes Louise e Arthur, mas também se aproxima foneticamente da palavra “Lua” e “Arte” remetendo à ideia de sonho e do momento em que os pais colocam os filhos para dormir, contando histórias e fazendo carinho; ao mesmo tempo que remete ao esmero e atenção de um artista no seu processo de criação.

Como tagline, Sandrine definiu “A infância no fundo do coração”, amarrando todos os conceitos que representam sua marca e os valores que ela defende. Com o nome definido Sandrine alinhou suas ideias com um designer, responsável a dar vida à marca e ao produto.  Em um processo de cocriação refinou as propostas até chegar à uma identidade limpa, sem muitos elementos, que valorizasse o produto e utilizasse o logotipo como uma assinatura discreta. Afinal, para a Petit Louarth , a apresentação do conjunto do produto é mais importante do que colocar o logotipo em um local de grande destaque de forma a trazer um “ar muito comercial”.

Versões do Coffret em azul, rosa e amarelo. A marca aparece de forma discreta na lateral do produto, deixando destaque para as cores, ilustrações e mascotes da marca.

Ao falarmos da parceria com o designer, perguntei à Sandrine qual sua percepção em relação a escolha desse fornecedor com o objetivo de entender quais aspectos os designers devem levar em conta no momento de se posicionar. Sandrine então elencou compromisso e confiança como sendo as características principais, uma vez que por estar focado em desenvolver seu negócio, o empreendedor precisa ter a tranquilidade de que seus prazos serão cumpridos e de que terá uma solução e não mais uma dor de cabeça.

Storytelling, o gatilho para a propagação da marca:

Com a ideia concretizada, o storytelling ganha papel de destaque na estratégia da Petit Louarth, uma vez que transmite a mensagem da marca de forma a evolver o consumidor em sua experiência. Toda a ideia de guardar as lembranças para deixar um legado envolve e encoraja as pessoas a agirem em torno do uso do produto, elevando a marca a um papel central na construção de seu legado familiar.

Quando aplicado de maneira bem estruturada, o storytelling contribui para o posicionamento da marca, ajudando com que ela se propague via recomendação de um para muitos, explorando as conexões entre as pessoas.

Tal conexão é fundamental na jornada do consumidor de hoje em dia, que busca em seus pares a validação de suas percepções, por meio de indicações e reviews. Além de ser determinante para a construção de conhecimento de marca (brand awareness) por meio da advocacia de marca.

Padrão ideal para a jornada do consumidor, apresentada por Kotler no livro Marketing 4.0. Destacamos a terceira etapa, referente a validação com a rede de contatos e a quinta etapa, referente à advocacia após a experiência com a marca. Ou seja, de um cenário no qual o consumidor identifica a marca dentre tantas outras opções, ele refina a percepção, decide experimentar a marca e, se a percepção final for positiva, ele tende a passar a mensagem adiante e ajuda a influenciar potenciais consumidores.

O MVP e os planos para o futuro:

Hoje a Petit Louarth ainda é uma marca nova, com menos de dois anos de existência desde sua concepção. Ciente desta realidade, Sandrine encara seu Coffret como um MVP – Minimum Viable Product ou Mínimo Produto Víavel, que testa e valida a proposta conforme mediante sua aceitação.

Por conta do foco na qualidade e pouca escala, o produto da Petit Louarth tem um alto custo de produção e, por consequência, um preço um pouco elevado que o direciona à classe A. Além disso, por se tratar de um produto novo, a marca ainda está na fase de apresentá-lo ao mercado, o que exige grande esforço e atenção; tanto para feedbacks positivos quanto, e principalmente, para feedbacks negativos, com os quais a marca poderá aprender.

Para esse processo Sandrine conta com a expertise da Midiaria.com, também parceira do InfoBranding, para posicionar a marca no ambiente digital e difundir sua proposta para a mídia especializada, utilizando-se da estratégia de relações públicas, mídias sociais e pequenos eventos para influencers.

Exemplo da comunicação da marca em redes sociais e encontro com influencers, no qual a Sandrine apresenta a marca e discute assuntos relacionados ao seu universo.

A ideia da Petit Louarth é aumentar sua escala e levar fazer com que cada vez mais famílias construam suas histórias de forma organizada e lúdica!

Conheça um pouco mais sobre a Petit Louarth aqui.

Sandrine Billard possui formação em administração e gestão de empresas, com atuação em grandes multinacionais com foco em varejo. Veio para o Brasil para implementar negócios de origem Francesa, 13 anos depois, apaixonada por nosso país, decidiu ficar e empreender.

Gostou do case da Petit Louarth? Comente aqui e compartilhe!

Compartilhe!
error0

Saiba o que nos chamou atenção no tão aguardado evento da marca

Aconteceu hoje o Apple Special Event, evento anual que a marca realiza no mês de setembro para apresentar todas as suas novidades ao mercado, em especial, a atualização na linha do iPhone.

Além da grande expectativa criada, o evento desencadeia uma série de especulações e análises sobre a marca e o rumo de seus produtos, tanto no que diz respeito à tecnologia, quanto aos serviços relacionados, colocando-a em posição de destaque na mídia.

Afinal, a Apple sabe como fazer branding! Estabelecendo-se como a marca mais valiosa do mundo mesmo com seus resultados e participação de mercado ameaçados por grandes concorrentes como o sistema operacional Android do Google (segunda marca mais valiosa do mundo), a sul-coreana Samsung e, mais recentemente, a chinesa Huawei.

Tudo isso é o que acirra as discussões de Apple X Samsung, Android X IOS e Marca X Reais avanços tecnológicos, trazendo um gostinho todo especial para quem acompanha o mercado de tecnologia!

Mas vamos ao que realmente importa: o evento de hoje!

Acompanhamos sua transmissão direto do Steve Jobs Theater e reunimos o que achamos de mais interessante da performance de Tim Cook, CEO da Apple, e sua equipe.

Tim Cook apresentando o IPhone 11

Embora a tecnologia e sua evolução nos fascine, este não é o foco de nossa abordagem. Queremos mesmo é falar sobre branding e como a Apple reforça seu posicionamento por meio deste tipo de ação.

O Apple Special Event é um verdadeiro acontecimento, esperado por especialistas e consumidores aficionados pelo universo da Apple. Seu propósito é unificar os lançamentos da marca e marcar um “ponto de virada” em sua linha de produtos, tecnologias e diretrizes do mercado.

Tudo é pensado para reforçar a experiência superior que a Apple ostenta desde a época do icônico Steve Jobs. E a receita parece funcionar: crie expectativas em relação a seus próximos passos, chame atenção da mídia, reúna um grupo seleto de especialistas e early adopters para presenciar as apresentações, transmita para o mundo e, o mais importante: conte estórias que coloquem o usuário como fonte de inspiração e centro de todos os avanços implementados.

Foi o que saltou aos nossos olhos na apresentação de hoje.

Um dos destaques é o caminho que a marca segue em direção aos serviços de streaming com preços acessíveis e conteúdos próprios desenvolvidos por produtores de renome, com participação de artistas do momento e abordando temas plurais que atendam a todas as idades e gostos, atualizados mensalmente em sua plataforma.

Se a Apple revolucionou o mercado da música com o iTunes e o iPod, agora ela mira nos games e conteúdos on demand, fazendo parcerias com gigantes como a Capcom e estruturando uma plataforma de conteúdo para bater de frente com a Netflix, Amazon Prime e Disney +. Estamos falando respectivamente do Apple Arcade e Apple TV +, este último compartilhando o mesmo elemento que o serviço recém lançado da Disney.

Destaque para a abordagem do Apple Arcade e Apple TV +

A diferença está no fato da Apple, além de oferecer os serviços com foco em simplicidade e usabilidade facilitada, oferece também os gadgets necessários para que toda a experiência aconteça. Nesse sentido, a nova linha de iPhones apresenta, dentre outras coisas, uma qualidade de imagem superior e um sistema de som imersivo compatível com a tecnologia Dolby Atmos.

Outro aspecto que nos chamou atenção é o foco em impactar a maneira como os usuários realizam suas tarefas e exploram sua criatividade, unindo hardware e software que, juntos, potencializam a criatividade e a criação de imagens, edição de vídeos e maneira como se pode criar e compartilhar conteúdo no mundo digital.

A sétima geração do iPad ganha um nome próprio: iPad OS. Dentre as novidades destacam-se o Slide Over e Split View, que facilitam o uso de diversos apps de forma simultânea, além, é claro, de uma tela maior, com mais resolução; nova câmera e sensores atualizados.

Já o iPhone 11 e o iPhone 11 Pro traz por meio de suas potentes câmeras, a possibilidade de criar imagens e vídeos com uma qualidade nunca antes vista em dispositivos portáteis, trazendo ao alcance dos usuários toda a qualidade de grandes produções profissionais. Isso impacta o usuário comum, mas, principalmente, traz grandes oportunidades para pequenos empreendedores impulsionarem seus negócios.

Novos recursos do IPhone 11 Pro

O Apple Watch por sua vez reforçou sua importância para além das facilidades mais óbvias, explorando sua capacidade de auxiliar no acompanhamento da saúde do usuário, com destaque para saúde da mulher, acompanhamento cardíaco, de movimentos e também saúde auditiva.

Para fechar a apresentação o destaque foi para o Apple Retail, ou seja, a experiência de varejo da marca nas suas lojas, na qual reforçaram a importância dos colaboradores no atendimento aos consumidores e, principalmente, mostram um claro direcionamento para a customização.

Apple Watch Studio

 Nos moldes da Nike Concept Store, a Apple traz o Apple Watch Studio, experiência segundo a qual o usuário customiza o produto com o suporte da equipe e de diversos acessórios.

Também foi anunciada a reinauguração da loja da Quinta Avenida em Nova York, aquela com o cubo de vidro próxima ao Central Park, que acontece no dia 20 de setembro, mesmo dia no qual os novos produtos estarão disponíveis para venda. Imagine só o alvoroço que presenciaremos em Manhattan!

Prévia da Apple Store na Quinta Avenida

Gostou? Confira todas as novidades no site da Apple, atualizado logo após o evento, deixando o mundo todo a par das novidades sem delay!

Confira um vídeo com os melhores momentos do evento:

Compartilhe!
error0

Dia 25 de Maio aconteceu o evento Branding: Estratégia para Alavancar Negócios, uma iniciativa do InfoBranding e da Mentorii Comunicação para colocar o branding em discussão entre empreendedores em São José dos Campos e região do Vale do Paraiba.

Os temas foram estruturados de forma a mostrar ao empresariado como  a gestão de marca pode contribuir para a alavancagem do negócio, destacando-o das inúmera opções que disputam espaço no mercado e transmitindo valor para o público, tanto interno quanto externo à empresa.

O desafio de Branding na Gestão dos Negócios

Marcia Auriani, executiva de branding e gestora do InfoBranding, abriu as apresentações explorando o conceito de marca e sua abrangência, ilustrando com exemplos e aproximando sua percepção estratégica da realidade das empresas de menor porte que, muitas vezes, acabam por acreditar que a gestão de marcas é só para grandes.

Marcas orientadas pelo Propósito

A partir dos conceitos apresentados, Gabriel Meneses, gestor executivo de branding e design do InfoBranding aprofundou o tema do Propósito de Marca, abordando sua importância na sustentação da estratégia de branding (gestão de marcas) e mostrando, em forma de passo a passo, como trazer o conceito para a prática, de forma a mostrar para o empreendedor que aquilo que o diferencia e sustenta sua identificação e relacionamento com o público, pode sim ser colocado na prática, dependendo menos de grandes investimentos e mais de atitudes, atenção e força de vontade.

Marca INVOZ – Integrando Vozes Para O Futuro

Para fechar a equipe da Mentorii Comunicação, representada por Daniel Borges, Marcos Almeida e Vera Coralino consolidou os conceitos apresentados através da apresentação do case da marca Invoz – Integrando Vozes para o Futuro, do Instituto Ozires Silvas. O case transbordou propósito e gestão no seu desenvolvimento e, mostrou de maneira certeira, como é possível fazer uma marca acontecer através da gestão cuidadosa de todos os detalhes que integram uma estratégia de marca.

Após a apresentação os palestrantes e plateia interagiram e levaram adiante uma saudável troca de ideias, consolidando o sucesso do evento na integração e na necessidade de se discutir temas que podem fazer a diferença no mercado.

Temos certeza que muitos projetos virão desse encontro e, a gestão de marca, estará cada vez mais consolidada no empreendedorismo de nosso país.

A todos os envolvidos fica o nosso muito obrigado. Tenham a certeza que estamos sempre a disposição para falar de marcas, ideias e afins.

Compartilhe!
error0